facebook-icon-color.png instagram-icon-color.png twitter-icon-color.png youtube-icon-color.png tiktok-icon-color.png
Cuiabá, 23 de Junho de 2024
23 de Junho de 2024

10 de Novembro de 2022, 16h:37 - A | A

GERAL / MOVIMENTO CONTINUA

Manifestantes em Cuiabá insistem em hipótese de fraude nas eleições: "TSE não foi isento"

Acampados há 11 dias na porta de um quartel em Cuiabá, manifestantes não tem previsão para voltar para casa.

APARECIDO CARMO
DO REPÓRTER MT



Após a divulgação do relatório das Forças Armadas, que apontou que o sistema de votação “não está isento a fraude”, os manifestantes que acamparam na porta da 13ª Brigada do Exército, em Cuiabá, continuam acreditando numa reviravolta que impeça Luiz Inácio Lula da Silva (PT) de tomar posse em 1º de janeiro de 2023.

O Repórter MT esteve nesta quinta-feira (10) no local e conversou com alguns manifestantes. Apesar de o número de pessoas estar reduzido em relação à semana passada, quando a reportagem visitou o acampamento pela primeira vez, as pessoas que ainda estão lá continuam confiantes na força dos atos e não parecem dispostas a sair tão cedo.

>>> Clique aqui e receba notícias de MT na palma da sua mão

“Nós estamos lutando, dando o nosso sangue, nossa vida pelo nosso futuro, pelo Brasil. É isso que nós esperamos. Nós ainda temos esperança. Tenho dois filhos e uma neta e é por eles que eu estou aqui e vou ficar até o final”, disse a bióloga Valdirene Barbosa.

Com dois filhos e uma neta, ela conta que participa dos atos há cerca de cinco dias e que é a esperança de que a esquerda não consiga assumir o poder que a fez ir para as ruas.

“Eu vim para cá para fazer não uma manifestação de revolta, mas de indignação. Nós queremos nossa liberdade, nossa família, nós queremos o bem para o nosso povo, para os nossos filhos, os nossos netos que estão vindo”, explicou.

O pecuarista cuiabano Luiz ‘Mineiro’, que participa dos atos há dez dias, resume o sentimento dos manifestantes após a divulgação do relatório das Forças Armadas. Para ele, não há dúvidas de que houve fraudes e de que o Tribunal Superior Eleitoral agiu para dificultar a auditoria.

“Hoje nós temos certeza que o TSE não permitiu a entrada dos militares para que ocorresse uma transparência total do processo e isso só nos fortalece. Porque nós entendemos, sim, não só houve a fraude, como ela é comprovada em todos os municípios do Brasil, em todos os estados, mas descaradamente, na cara do povo brasileiro. Isso é verídico, é fato”, disse.

Para Marcos Mesquita, que participa dos atos desde o dia 31 de outubro, a Justiça foi parcial e beneficiou desde o começo a candidatura de Lula e Geraldo Alckmin.

“Se tivesse tratado todos os candidatos com igualdade, estaríamos mais satisfeitos. Mas não teve. Ele foi para o lado do oponente que é o Lula, entendeu? Ele não era nem para estar lá, porque ele é amigo pessoal do vice-presidente (Alckmin), então, a gente está aqui principalmente porque o resultado ontem do Exército foi bem claro: há risco de fraude”, comentou.

Apesar disso, ele reconhece que mesmo que o resultado da auditoria dissesse que não há nenhuma possibilidade de fraude nas urnas, estaria protestando da mesma forma.

“Você veja só uma coisa: para a gente entrar num concurso público, a gente precisa estar ilibado, a gente não pode ter processo nenhum. E para ser presidente da república pode ter processo. Tá errado, tá tudo errado. A gente tá indignado é com isso. Enquanto puder lutar, a gente vai lutar porque a ente não quer ser governado por um bandido”, disse, se referindo ao fato de Lula ter sido implicado nos processos resultantes da Operação Lava Jato, mas ter tido todas as condenações anuladas pelo Supremo Tribunal Federal (STF).

Segundo manifestantes que preferiram não dar entrevista, pelo menos cinquenta veículos devem sair hoje de Cuiabá em direção a Brasília. Na Capital Federal, manifestantes ocupam a porta do Quartel General do Exército e pedem intervenção federal.

LEIA MAIS - Manifestantes decidem continuar acampados e pedem "S.O.S Forças Armadas" em Cuiabá

Álbum de fotos

RepórterMT

RepórterMT

Comente esta notícia

CIDADÃO 11/11/2022

só um alienado para dizer que as eleições não foram justas e imparciais.

positivo
0
negativo
0

Valdemilson 11/11/2022

Vcs não tem tantas credibilidade assim pra querer dizer hipótese de fraude, só um idiota Guido por notícias que desinforma o povo da verdade pra dar crédito as suas falácias esquerdistas, o povo está defendendo oque foi tirado dela que é o direito de ter uma eleição justa.

positivo
0
negativo
0

muito louco 11/11/2022

Esses bando de trouxas a serviços de alguns idiotas, deveriam estar trabalhado para pagar as contas, ao invés de ficar brigando por Bolsonaro contra Lula ou vice-versa, a casa já caiu e eles não acordam, gostaria que essa manifestação fosse direcionada para Deus em total agradecimento por estarem vivos e com saúde e não para um apedeuta, que nunca fez nada em prol do povo, ou tem algum projeto que melhorou a vida desses trouxas porque até agora não vi nada ok?

positivo
0
negativo
0

Gina 11/11/2022

E vamos continuar na luta. Vocês deveriam é estar com vergonha e se manifestarem também. Acham que vão ter alguma regalia no governo do ladrão???? Tomara que não assuma,não quero ser conduzida por aquele crápula. A baderna já começou em todo o país, não estão acompanhando as notícias? Se interem.

positivo
0
negativo
0

4 comentários

1 de 1