Cuiabá, 29 de Novembro de 2022
logo

19 de Dezembro de 2016, 15h:55 - A | A

GERAL / VÍTIMA DE RITUAL MACABRO

Bebê passa por cirurgia, mas quadro impede retirada de agulhas

A menina de três meses segue internada na Santa Casa de Rondonópolis, com duas agulhas na cabeça e outra no abdômen

CELLY SILVA
DA REDAÇÃO



A menina A.L.J.S., de três meses, vítima de ritual de magia negra, passou pela segunda tentativa médica de retirada das três agulhas que ainda estão alojadas em seu corpo.

Na sexta-feira (16), ela foi submetida a uma cirurgia para drenagem de hematoma intracraniano e a uma nova tentativa de retirada das agulhas, que estão alojadas na cabeça e no abdômen.

>>> Clique aqui e receba notícias de MT na palma da sua mão

No entanto, a equipe médica não obteve sucesso devido ao risco de sangramento e lesão cerebral muito grande.

De acordo com a assessoria de imprensa da Santa Casa de Rondonópolis (212 Km ao Sul de Cuiabá), onde A.S está internada há seis dias, na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) pediátrica, a criança está sendo monitorizada em rigorosa observação e segue com quadro estável hemodinamicamente, respirando sem ajuda de aparelhos e recebendo dieta com boa sucção e aceitação.

Segundo boletim médico, a menina tem diagnóstico de craniotomia, que é uma abertura cirúrgica no crânio, devido à presença do corpo estranho intracerebral.

Agora MT

médicos

 Médicos que estão cuidando da menina. 

A criança foi vítima de maus tratos por parte dos próprios pais e de outros três adultos. Por conta disso, ela está sob a guarda do Conselho Tutelar.

Sigilo

De acordo com o delegado Marcelo Melo, da Delegacia de Polícia de Jaciara (147 Km de Cuiabá), o inquérito policial tramita em sigilo por envolver menores (a bebê e a mãe de 17 anos).

Mas, ele adiantou que tem o prazo de 30 dias para concluir a investigação, podendo prorrogar por mais um mês, antes de representar contra os acusados no Poder Judiciário.

Os acusados – o pai da criança, Wellinton de Jesus Costa, 28, e Ricardo César dos Santos estão presos temporariamente na cadeia pública de Jaciara; Iraci Queiroz dos Santos, 42, conhecida como “Baiana” e a filha dela, Débora Queiroz, 20, estão presas no presídio feminino de Rondonópolis.

Baiana é apontada como a líder do ritual de magia negra a que a criança foi submetida.

Já a mãe do bebê, C.S.S., 17, foi encaminhada para o Centro Socioeducativo de Cuiabá.

Ela e Wellinton teriam aceitado que as agulhas fossem inseridas na filha, durante ritual, em troca de R$ 250 cada.

O caso

A tentativa de homicídio da menina ocorreu na noite de segunda-feira (12), na cidade de São Pedro da Cipa (180 Km de Cuiabá).

O Conselho Tutelar foi acionado quando a menina deu entrada na UPA de Rondonópolis, onde a equipe médica constatou os maus tratos e denunciou o caso.

Cerca de duas semanas antes do caso, a menina já havia sido levada para o Hospital Municipal de Jaciara, apresentando cortes nos pés.

A suspeita de maus tratos contra o irmão de dois anos da menina também será investigado. 

Leia também:

Polícia Civil apreende mãe que entregou bebê para ritual com agulhas

Quatro são presos por toturar bebê com agulhas em ritual de magia negra

Menina de três meses é torturada com agulhadas na cabeça em ritual

Comente esta notícia

Bianca 21/12/2016

Há expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas. Queira, por gentileza, refazer o seu comentário

1 comentários

1 de 1