facebook-icon-color.png instagram-icon-color.png twitter-icon-color.png youtube-icon-color.png tiktok-icon-color.png
Cuiabá, 13 de Julho de 2024
13 de Julho de 2024

01 de Julho de 2024, 18h:30 - A | A

ENTREVISTA / EFEITOS IRREVERSÍVEIS

Médico: Ninguém fica esquizofrênico fumando cigarro, mas fumando maconha fica

O médico, especialista em psiquiatria, Werley Peres diz que o uso da maconha pode causar depressão e levar ao suicídio

KARINE ARRUDA
DO REPÓRTER MT



Uma droga que provoca alterações cognitivas, diminui o Quociente de Inteligência (QI), queima neurônios, pode provocar depressão, esquizofrenia e, em casos mais graves, levar ao suicídio. Esses são alguns dos efeitos a curto, médio e longo prazo do consumo da maconha, segundo o médico Werley Peres, e que provoca danos irreversíveis ao usuário, motivo pelo qual não pode ser comparada com outras drogas lícitas como o álcool e o cigarro.

Para o especialista, que é médico da família e pós-graduado em psiquiatria, essa comparação não existe e é impossível de ser feita, já que os efeitos da maconha são muito piores e maiores do que os do álcool e do tabaco. De fato, nenhum deles faz bem para a saúde, porém, a maconha traz consequências que podem ser irreversíveis se comparada aos demais.

“Não se compara a maconha com álcool ou cigarro, ela ta descolada. É como querer comparar o efeito de uma gota de veneno para um balde. Ninguém fica esquizofrênico fumando cigarro, mas com a maconha fica”, alertou Werley em entrevista ao RepórterMT.

Veja:

Confira a entrevista completa:

>>> Clique aqui e receba notícias de MT na palma da sua mão

Comente esta notícia

alexandre 03/07/2024

STF liberou 40 gramas, 136 cigarros e usuarios....

positivo
0
negativo
0

1 comentários

1 de 1