Cuiabá, 02 de Dezembro de 2022
logo

16 de Outubro de 2022, 08h:20 - A | A

DICAS DO BALU / PESO ATRAPALHA

"Transa melhor quem pratica atividade física", afirma nutricionista esportivo.

Balu diz que não podemos romantizar sobrepeso e obesidade; condições prejudicam o sexo.

LEANDRO MAIA
DO REPÓRTER MT



O nutricionista Danilo Macena o "Balu", durante entrevista ao Repórter MT, disparou "quem se alimenta bem e pratica atividade física transa melhor". Ele explicou os motivos de a alta performance sexual estar associada à vida saudável.

"Fato. Você vai ter um trabalho cardiorrespiratório melhor, cardiovascular melhor, vai respirar melhor, seu coração vai respirar melhor. A musculatura? Você vai aguentar melhor a sua prática sexual."

Nessa mesma lógica de pensamento, o profissional, especialista em nutrição esportiva, afirma que é um risco romantizar o excesso de peso. Além disso, provocou: "Você está feliz sendo gordinho?"

Para Balu, é um erro romantizar o sobrepeso ou a obesidade, já que a condição é um peso que atrapalha, na maioria das vezes, a disposição para a vida saudável.

Já para quem está acostumado a dar a velha desculpa de que comer bem custa caro, ele foi direto ao ponto.

"Não podemos romantizar uma pessoa feliz com sobrepeso, com obesidade. Tudo bem que você está feliz, mas isso é um risco para a saúde."

Esse olhar pode ser associado à autossabotagem ou, até mesmo, a um pensamento egoísta.

"Você está feliz sendo gordinho ou obeso, tá tudo certo! Mas você precisa pensar nas pessoas que amam você. Então você precisa se cuida", orientou.

Uma das grandes desculpas para o excesso de peso é de que a alimentação saudável custa mais caro. Ele explica que não necessariamente, é possível se alimentar bem gastando pouco.

"Como a pessoa tem condições de comprar um pacote de bolacha e não tem condições de comprar alguns ovos. Como a pessoa tem condições de gastar com um fastfood qualquer, e não condições de comprar um pacote de arroz, feijão e frango. A comida do dia a dia é o mesmo valor que você gasta, em um final de semana, com um uísque na balada", ressaltou.

Um conselho para quem diz que não abre mão de cerveja e fastfood.

"Eu também gosto, mas eu me amo muito mais", finalizou.

Veja a entrevista:

 

Comente esta notícia