facebook-icon-color.png instagram-icon-color.png twitter-icon-color.png youtube-icon-color.png tiktok-icon-color.png
Cuiabá, 17 de Maio de 2024
17 de Maio de 2024

21 de Agosto de 2010, 12h:40 - A | A

VARIEDADES /

BRB pode se tornar o banco de fomento estadual de MT

Diario de Cuiabá



O Banco de Brasília (BRB) abriu suas portas ontem, em Cuiabá, com a expectativa de tornar-se o banco de fomento estadual que Mato Grosso deixou de contar desde a extinção do Bemat, há mais de 10 anos. “Mato Grosso era um sonho antigo do banco. Desde a extinção do Bemat, surgiu a oportunidade de ocuparmos esse espaço. Mas esperamos o melhor momento para ancorarmos nossos investimentos neste Estado próspero, que tem sua economia sedimentada no agronegócio”, frisou o presidente do BRB, Nilban de Melo Júnior, que esteve ontem em Cuiabá para participar da inauguração da instituição, no Edifício Maruanã, à Avenida Rubens de Mendonça.

O BRB completa 44 anos de atuação em setembro e está presente também em Goiás, São Paulo, Rio de Janeiro e no Distrito Federal.

Segundo Melo Júnior, a vinda do BRB para Mato Grosso faz parte do plano de expansão na região Centro-Oeste e é motivada pelo crescimento do agronegócio, pela estabilidade econômica e pela forte demanda por crédito no Estado. O banco conta com 100 pontos de atendimento, sendo 60 agências 40 postos. Com uma carteira de 588 mil clientes, o BRB emprega diretamente cerca de 2,5 mil funcionários. A agência de Cuiabá deverá gerar 10 empregos diretos.

Na opinião do presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas de Cuiabá (CDL), José Alberto Vieira Aguiar, a chegada do BRB propiciará mais uma alternativa de financiamento para o segmento empresarial, fomentando o crédito no município.

O presidente do banco informou que a meta da instituição é atuar como um “banco completo” e desenvolver parcerias com órgãos do governo e empresas, atendendo a todo tipo demanda por financiamento, com linhas de crédito para pessoas física e jurídica.

Ele informou que o banco conta com resultados financeiros expressivos, lembrando que no primeiro semestre de 2010 o lucro operacional foi de R$ 101 milhões, “com rentabilidade anual prevista de 33%”.

O Banco de Brasília registrou lucro líquido acumulado de R$ 190,5 milhões em 2009, resultado 72,6% maior que os R$ 110,3 milhões apresentados em igual período do ano de 2008. Esse resultado proporcionou rentabilidade sobre o Patrimônio Líquido de 32,8% no ano de 2009.

O patrimônio líquido ao fim de 2009 foi de R$ 581,4 milhões, apresentando crescimento de 37% em relação aos R$ 424,3 milhões apresentados no ano de 2008.

O ativo total neste período registrou saldo de R$ 6,61 bilhões, o que representa crescimento de 17,6% em relação aos R$ 5,62 bilhões observados no mesmo período de 2008.

O volume das operações com característica de concessão de crédito, ao fim de 2009, totalizou R$ 3,24 bilhões, contra R$ 2,70 bilhões registrados no mesmo período de 2008, representando aumento de 20%.

O volume de depósitos totais registrou R$ 4,92 bilhões, contra R$ 4,01 bilhões verificados em 2008, correspondendo a um aumento da ordem de 22,8%. Os depósitos a prazo apresentaram saldo no valor de R$ 2,99 bilhões, contra R$ 2,26 bilhões no mesmo período de 2008, a 32,3% de crescimento. Já as receitas de intermediação financeira totalizaram R$ 1.173,2 milhões, apresentando crescimento de 24,2% em relação aos R$ 944,8 milhões apresentados no mesmo período de 2008.


Comente esta notícia