Cuiabá, 31 de Janeiro de 2023
logo

11 de Dezembro de 2014, 17h:04 - A | A

POLÍTICA / MUITO BARULHO POR NADA

Vereador indicado para ser secretário de saúde desiste da pasta

Na tribuna, o vereador elencou diversos projetos que não saíram do papel, mesmo após dois anos de gestão. Segundo ele, é impossível realizar a reabertura do Hospital São Benedito, por exemplo, já que o Executivo não conseguiu viabilizar R$ 7 milhões em

KEKA WERNECK
MARCIA MATOS



O vereador Maurelio Ribeiro (PSDB) emitiu nota pública declinando da indicação do nome dele para secretário municipal de saúde da capital que a Câmara Municipal de Cuiabá fez formalmente ao prefeito Mauro Mendes (PSB).

Maurelio, que é médico gastroenterologista, não evitou a indicação assinada por todos os 24 vereadores, por isso a decisão dele, anunciada nesta quinta-feira (11), traz surpresa. Ele alegou na nota que vai dar preferência a cumprir o mandato eletivo.

“Esta atitude dos meus colegas de parlamento me deixa muito envaidecido e orgulhoso, mas represento 3.246 cuiabanos, e, em respeito a eles, que apostaram no meu nome e me deram um voto de confiança, declino desta indicação”, disse.

O parlamentar tucano já informou a sua decisão aos seus pares. Segundo ele, “poderá contribuir muito mais continuando como vereador na Câmara Municipal”. O vereador alegou não poder falar mais sobre isso no momento com o Repórter MT, porque estava atendendo um paciente.

O secretário de Comunicação de Cuiabá, kleber Lima, informou que o prefeito recebeu a indicação da Câmara “com carinho”, até porque foi unânime, mas ficou de analisar o caso e oportunamente daria uma resposta.

Diante do recuo do médico, não falou ainda publicamente em outros nomes para assumir a pasta da saúde. “O prefeito nunca falou em demitir o atual secretário Werley Perez (PDT). A Câmara é que levantou essa questão”, destacou Lima.

O prefeito Mauro Mendes está prestes a anunciar uma reforma administrativa e mudança na pasta da saúde pode se dar nesse momento. Até a semana que vem, o prefeito vai torná-la pública, uma vez que já foi aprovada pela Câmara e sancionada.

A reforma prevê a redução de sete secretarias. A medida teve reação contrária pelo menos do setor artístico, que protestou publicamente contra a junção de três pastas: cultura, esporte e turismo. O secretário Kleber Lima defende que isso vai fortalecer os três segmentos e principalmente a cultura, que será, segundo ele, o carro-chefe do setor. 

No entanto, ainda é uma incerteza a substituição do secretário Werley, que vem tendo sua gestão criticada, principalmente pelo parlamentar que estaria pleiteando a vaga.

Nesta terça-feira (9), mesmo dia em que a Casa levou a indicação a Mendes, o vereador Maurélio chegou a dizer na tribuna da Câmara Municipal, que a pasta da Saúde não tem cumprido seu papel.

“Veja bem, nós temos um momento agora, dois anos do meu mandato eu tenho dito que é possível, é necessário você fazer algumas oxigenações, fizemos uma reforma, uma mudança que ela necessariamente vai demandar algumas modificações por conta das diminuições de quadros, por conta da fusão de Secretarias e aí ter uma oportunidade para algumas avaliações internas”, declarou.

DISPAROS DE MAURÉLIO

Na tribuna, o vereador elencou diversos projetos que não saíram do papel, mesmo após dois anos de gestão.

Segundo ele, é impossível realizar a reabertura do Hospital São Benedito, por exemplo, já que o Executivo não conseguiu viabilizar R$ 7 milhões em recursos federais.

“Não existe recursos para o custeio desse hospital, que gira em torno de R$ 7 milhões, sendo que para a rede toda custa R$ 15 milhões. Então, acho muito difícil o hospital funcionar como foi proposto, para atender alta complexidade”, avaliou o vereador.

Maurélio é médico e já respondeu pela secretaria em 2009, e de acordo com ele, a promessa de campanha do prefeito Mauro, de que construir um novo pronto socorro, não deve mesmo sair do papel. Ele ainda citou imbróglio da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Pascoal Ramos e morosidade na construção da unidade do Verdão, Jardim Leblon e do novo pronto-socorro.

Comente esta notícia