Cuiabá, 26 de Setembro de 2022
logo

08 de Dezembro de 2013, 11h:11 - A | A

POLÍTICA / JOÃO EMANUEL

\"Vaidade custou presidência; se for candidato a deputado, perde\", diz analista

DIÁRIO DE CUIABÁ



A vaidade do vereador João Emanuel (PSD) teria sido o principal fator que o levou a cometer os deslizes que lhe custaram o mandato como presidente da Câmara de Cuiabá. A avaliação também é do analista político Louremberg Alves, que vaticina: "se for candidato à Assembleia Legislativa, ele perde".

O especialista pondera, no entanto, que o suposto distanciamento entre o social-democrata e seu sogro, deputado estadual José Riva (PSD), também contribuiu para a saída do comando do Legislativo.

Segundo Louremberg, desde fevereiro houve um distanciamento entre Riva e o genro. Ele comenta que a primeira demonstração disso teria ocorrido durante a posse do deputado como presidente da Assembleia, quando João Emanuel não esteve presente.

O analista diz que, sozinho, João Emanuel não recebeu orientação de ninguém com mais experiência, por isso cometeu tantos deslizes. Ele ainda considera que o “abandono” promovido por Riva poderá lhe custar consequências relevantes, caso tente se candidatar a um cargo na eleição de 2014.

Quem também corre risco de ter a campanha prejudica, para Louremberg, é a esposa de João Emanuel, Janaína Riva, apontada como herdeira do legado político de seu pai.

O especialista afirma que, mesmo depois de todo o episódio sobre a denúncia contra si, João Emanuel continuou não sabendo lidar com a vaidade. Indício disso seria o distanciamento que ele tomou dos demais vereadores, o que demonstraria que se achava maior que a própria Câmara.

Louremberg aponta ainda o dia em que o social-democrata ameaçou chamar os seguranças do Legislativo para retirar do plenário o vereador Dilemário Alencar (PTB), que discursava contra a atitude de João Emanuel de abrir uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) somente com membros de oposição ao prefeito Mauro Mendes (PSB).

DIVISÃO INTERNA - Segundo o analista, a Câmara de Cuiabá é dividida por quatro grupos. O primeiro é formado pelos vereadores que apoiam fielmente o prefeito. O segundo pela "turma do deixa disso", vereadores sem uma posição clara.

Há também o grupo dos veteranos, considerado por ele como o mais problemático, uma vez que, devido à experiência, essa deveria ser a turma que acalma os ânimos dos demais vereadores.

O quarto, por sua vez, é formado pelos parlamentares que defendem João Emanuel. Louremberg comenta que a "missão" deles será defender o mandato do social-democrata, impedindo sua cassação, já cogitada e cobrada por entidades da sociedade civil organizada. (TA)


Comente esta notícia

Creonice do Pedra 90 09/12/2013

Louremberg, o senhor nunca disputou voto e so sabe fala, Joao Emanuel é do bairrao onde ta o voto! E nois colacamo ele la porque ele fala a verdade e vai puni o Mauro que faz muita LAMBANCA!

Luis Vasconcelos 09/12/2013

CONCORDO EM GÊNERO, NUMERO E GRAU.

2 comentários

1 de 1