Cuiabá, 29 de Janeiro de 2023
logo

19 de Dezembro de 2014, 22h:00 - A | A

POLÍTICA / CADÊ O DINHEIRO?

Taques se diz preocupado em conseguir pagar servidores; meta é 'sentar no cofre'

O futuro secretário, porém, não descartou a possibilidade de que o pagamento dos salários possam atrasar.

MARCIA MATOS
DA REDAÇÃO



Ao apresentar seu escolhido para comandar a Secretaria de Fazenda do Estado (Sefaz), o então diretor da Unicred, Cooperativa ligada à Unidmed, Paulo Brustolin, o governador eleito Pedro Taques (PDT) deixou claro que a sua maior preocupação financeira no momento é não deixar o pagamento dos servidores estaduais atrasar.

Tanto Taques, como Brustolin declararam que a principal medida agora é ‘sentar em cima do cofre’.

“Precisamos ‘sentar no cofre’ para que o servidor  público possa ter o seu salário pago em dia. Esta é uma preocupação que nós demonstramos e pedimos aqui e determinamos ao secretário”, declarou o governador eleito.

“Precisamos ‘sentar no cofre’ para que o servidor público possa ter o seu salário pago em dia"

Segundo Taques, os números da ‘conta do Estado’ são preocupantes e exigem medidas emergenciais.

“Precisamos cortar gastos, precisamos 'sentar no cofre' para que o dinheiro não saia. Não estou falando de combate à corrupção apenas. Eu estou falando da qualidade dos investimentos, a qualidade destes  gastos”, disse Taques.

O futuro secretário afirmou que sua gestão será calcada nos pilares do controle de gastos, pagamento de servidores, criar um ambiente de negócios e melhorar o trabalho da Sefaz.

O futuro secretário, porém, não descartou a possibilidade de que o pagamento dos salários possam atrasar.

“A preocupação hoje da Secretaria de Fazenda e  de toda a equipe é que nós consigamos fazer o pagamento da folha de servidores  em dia.  Temos a preocupação em manter os salários em dia. Em janeiro vamos fazer todos os esforços para que isso aconteça e anormalidade financeira do servidor não seja afetada”, frisou Brustolin.

Apesar de ter números nada satisfatórios, Taques disse que Mato Grosso não estaria ‘quebrado’ e anunciou que irá apresentar os dados financeiros em uma audiência pública na próxima segunda-feira (22).

“O Estado não quebra.  O Estado de Mato Grosso está  numa situação financeira que será demonstrada na semana que vem. Nós temos alguns números que nos deixam preocupados. Nós não faremos uma ‘devassa nas contas’ do Estado. Nós não apresentaremos ‘caixa preta’. Nada disso. O que nós faremos é que cumpriremos a lei, por que cidadão precisa ser  informado”, argumentou.

"Em janeiro vamos fazer todos os esforços para que isso aconteça e anormalidade financeira do servidor não seja afetada”

O FUTURO  SECRETÁRIO

Natural do Rio Grande do Sul, Brustolin tem 43 anos, é formado em Direito e Administração e é especialista em Planejamento Estratégico e Financeiro. Ele atua na instituição financeira de cooperativas, que é ligada a Unimed, há 10 anos.

Taques ainda vai anunciar mais quatro secretários nos próximos dias, o de Assistência Social, Cultura e Esportes, Ciências e Tecnologia e Justiça e Direitos Humanos. Nos bastidores, a deputada estadual Luciane Bezerra (PSB) é cotada para assumir a Assistência Social.

Um dos nomes mais aguardados nas nomeações era o do secretário de Fazenda, na qual a pasta foi alvo de duras críticas feitas por Taques durante a campanha eleitoral, por conta de diversos decretos assinados pelo governador Silval Barbosa (PMDB).

 

 

Comente esta notícia

Junior 19/12/2014

Vamos filosofar um pouco: Se este governo que foi taxado de corrupto e desonesto sendo vitrine de vários escândalos até este momento pagou os salários em dias, porquê o novo governo, que se diz tão correto e honesto, não iria pagar???

1 comentários

1 de 1