Cuiabá, 06 de Outubro de 2022
logo

04 de Dezembro de 2013, 12h:00 - A | A

POLÍTICA / \'CASA DOS ARTISTAS\'

Onofre diz que CPI da Grilagem não deve ser retomada

Os candidatos mais cotados para a vaga de Emanuel são Chico 2000 (PR) e Júlio Pinheiro (PTB), ambos da base do prefeito Mauro Mendes

MÁRCIA MATOS
DA REDAÇÃO



Os vereadores de Cuiabá se preparam para eleger na próxima quinta (5), o novo presidente da Casa. De acordo como presidente em exercício, Onofre Jr (PSB), os candidatos mais cotados para a vaga são os polêmicos vereadores Chico 2000 (PR) e Júlio Pinheiro (PTB), ambos da base do prefeito Mauro Mendes (PSB). Onofre Jr, descarta a possibilidade de concorrer à cadeira de presidente e afirma que continua no cargo de vice-presidente.

De acordo com o parlamentar a composição da mesa diretora segue com os mesmos integrantes, sendo o vereador Haroldo Kuzai (SDD), no cargo de segundo vice-presidente, Maurélio Ribeiro (PSDB), como primeiro vice-presidente, Clovito Hugueney (SDD), segundo secretário. Os membros devem cumprir a gestão até dezembro de 2014.

Com relação à expectativa da retomada da CPI da Grilagem, arquivada pelo então presidente João Emanuel (PSD), Onofre Jr alega que isso não foi articulado e ficará a cargo do novo presidente.
“Não conversamos sobre isso. O foco agora é a eleição do novo presidente. É ele que vai definir se reabre a CPI”, afirmou.

Para o vereador, a eleição do novo presidente da mesa é a oportunidade de “limpar” o nome da Casa, nessa gestão.

“Infelizmente nossa imagem ficou manchada. Espero que o próximo presidente tenha uma administração transparente, e que mantenha os vereadores próximos. Só assim vamos conseguir reverter esse quadro”. Ressaltou.


CPI DA GRILAGEM

Na última sexta (29), o advogado José Rosa, que defende o grupo de vereadores da base governista, orientou que a CPI da Grilagem poderia ser reaberta sem que haja novo requerimento.
De acordo com o advogado a CPI está judicializada, por ter sido arquivada pelo ex-presidente João Emanuel.

“Ele [João Emanuel] arquivou sem dar nenhuma explicação aos 15 vereadores que assinaram o documento”, relatou.

O principal investigado da CPI é o próprio ex-presidente João Emanuel que é citado como emissor de um termo de declaração, na condição de agente público para legitimar contratos de compra e venda entre particulares referente à área dos bairros Doutor Fábio II e Altos da Serra, no período que ele presidia a Agência Municipal de Habitação, em 2009.


Comente esta notícia