facebook-icon-color.png instagram-icon-color.png twitter-icon-color.png youtube-icon-color.png tiktok-icon-color.png
Cuiabá, 24 de Maio de 2024
24 de Maio de 2024

20 de Julho de 2010, 14h:10 - A | A

POLÍTICA /

Greve no TJ-MT chega a 80 dias e impasse continua



A greve dos servidores do Poder Judiciário de Mato Grosso completa hoje, 80 dias, e, até o momento, não houve avanço nas negociações com a presidência do Tribunal de Justiça para ser fechado acordo e o movimento terminar. O governo estadual pode fazer um repasse financeiro emergencial para atender as reivindicações da categoria e serem retomadas as atividades na justiça matogrossense. Além de juízes, alguns poucos funcionários trabalham nos fóruns e os prazos dos processos estão suspensos.

Várias tentativas de acordo foram apresentadas, tanto pelo TJ quanto pelo Sinjusmat (Sindicado do Servidores do Poder Judiciário de Mato Grosso). Os funcionários deflagraram a greve no dia 3 de maio e reivindicam o pagamento do passivo da URV (11%), o auxílio alimentação, implantação da resolução 48, que para exercer o cargo de oficial de justiça se tenha curso superior. Revisão imediata nos cálculos para concessão das referências, revisão nos cálculos do imposto de renda sobre o pagamento da parcela da URV, autorização para que o Sinjusmat indique peritos para examinarem os cálculos do cumprimento do PCA 1415 e o estorno dos débitos compensados sobre os créditos do PCA 1415, com pagamento imediato do saldo de crédito.

De acordo com o sindicato, para encerrar a greve, os servidores pedem que José Silvério, lhes entregue o valor que cada um deve receber com a URV, e também um cronograma de pagamento, porém com a primeira parcela paga. Conforme Só Notícias já informou, a dívida com a URV dos cerca de 5 mil funcionários do judiciário de Mato Grosso estaria girando em torno de R$ 200 milhões, porém, o Tribunal de Justiça ainda não divulgou o valor.

Comente esta notícia