Cuiabá, 30 de Junho de 2022
logo

Sexta-feira, 04 de Novembro de 2011, 21h:53 - A | A

ANTES NÃO ERA?

"A ideia é licitar e comprar de forma legal, transparente e segura"

A declaração de Eder Moraes veio junto com a decisão do governo de anular contrato com Global Tech

ANDRÉ MICHELLS

Tem coisas que só acontecem no Brasil, mais particularmente em MT. Agora, depois do escândalo em que se tornou a compra sem licitação de 10 Land Rovers Defender, equipadas com sistema de radar e monitoramento, ao custo de R$ 14 milhões, o secretário extraordinário da Copa do Mundo (Secopa), Eder Moraes, vem a público e declara:

 

"A ideia é lançar uma licitação e fazer a compra dos veículos de forma legal, transparente e segura. O governador deu a seguinte ordem: em qualquer compra que for identificado algum problema deve ser anulada e decidimos acompanhar sua determinação". Com a declaração, Eder admite a que pode ter havido falcatrua na compra. Pior que isso é que, até agora, nada aconteceu para punir quem promoveu tal obra, ou melhor, obrada. 

 

A polêmica compra já causou desgaste irreparável para a imagem do governo e principalmente às de Silval Barbosa e Eder Moraes, que conduziram as negociações na Rússia. Demorou, mas Silval tomou atitude e anulou tudo. Mas isso desfaz a tal obrada? O site Olhar Direto denunciou o que seria uma empresa de "fachada" em Brasília, como sendo a sede da Global Tech. Pegou mal. O RepórterMT publicou a matéria na íntegra e parabeniza os jornalistas que investigaram em Brasília tal situação. 

 

As denúncias envolvendo a empresa e sua suposta falta de estrutura e idoneidade abalaram a confiança do governo e também da Secopa, na figura de Eder Moraes, que já vem de um longo processo de desgaste por conta da contenda com seu ex-colega de Agecopa, Carlos Brito, hoje defendido por nada menos que o presidente da AL-MT, deputado José Riva (PSD). 


Eder, hoje (04), permaneceu por cerca de 5 horas reunido com o governador para tomar a decisão que, aliás, já vem tarde. O constrangimento no governo é visível, comparado ao escândalo dos maquinários, ocorrido no apagar das luzes do governo Maggi, do qual Silval e Eder também eram membros. A anulação da compra dos equipamentos russos foi motivada por vícios procedimentais, apontados pelo Ministério Público Estadual (MPE) e Tribunal de Contas do Estado (TCE). Vale ressaltar que, até agora, não há nada que aponte esquema vindo da terra de Putin. 

 

A pergunta que não quer calar é a seguinte: Silval sabia ou não desde o início que a coisa era enrolada desse jeito? Se sabia foi conivente e cometeu ato extremamente deplorável para um governante. Se não sabia caiu de gaiato, demonstrando fragilidade. Se percebeu o esquema, mas ficou quieto e deixou rolar, prevaricou. Uma sinuca de bico e um enorme abacaxi para Barbosa descascar. E agora, governador? 

Comente esta notícia

João Cãmara 06/11/2011

Mas é logico que havia mutreta, Mas o povo não é tão otario quanto o Silval e o Eder pensam.

Aninha 05/11/2011

So agora vai ser transparente??? aiaiaiaia palhacada seu eder

RUBENS BRAGUETA 05/11/2011

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk... EITA POVO OTARIO ESTE DE MT.. CREDOOO CRUZZZ... DPS GOZAM NA CARA DE CAMPOGRANDENSE.. CONHECAM AQUI E VERAO O Q É ORGANIZAÇÃO E LIMPEZA.. VCS SÃO UM BANDO DE TOLOS DANDO O ESTADO RICO COMO MT NA MAO DESSES CARAS... FICAM AI DANCANDO CURURU E ACHANDO O MAXIMO SEDIAR DOIS OU TRES JOGUINHOS DA COPA, OS CARAS METEM A MAO NO BOLSO DE VCS.. ACORDEMMM ENQUANTO HA TEMPO... MAS POR FAVOR, FIQUEM AI, NAO VENHAM PARA CAMPO GRANDE NAO. AQUI NAO TEM LUGAR PRA GENTE ASSIM. AINDA BEM QUE NOS SEPARARAM DE VCS...

3 comentários

1 de 1