Cuiabá, 20 de Agosto de 2022
logo

19 de Dezembro de 2017, 15h:27 - A | A

POLÍCIA / AÇÃO NA MADRUGADA

Posto de saúde paralisa atendimentos após invasão de assaltantes

Um dos guardas foi feito de refém e mantido em cárcere durante a ação dos criminosos.

DA REDAÇÃO



A Secretaria Municipal de Saúde de Cuiabá informa que unidade do Programa Saúde da Família (PSF) Residencial Coxipó I e II estará fechada nos próximos dias devido a um roubo que aconteceu na madrugada de sábado (16) para domingo (17).

De acordo com o que foi informado no boletim de ocorrência, a unidade foi invadida por volta das 3 horas por cinco homens. Dois estavam armados com revólveres. Eles arrombaram a porta de entrada, anunciaram o assalto e agrediram violentamente o vigilante, exigindo dele a arma e dinheiro. Em seguida os invasores trancaram o guarda em uma das salas da unidade.

>>> Clique aqui e receba notícias de MT na palma da sua mão

Foram roubados 7 computadores completos, um monitor, botijão de gás, vários medicamentos que estavam disponíveis para os atendimentos à população, o celular e o veículo do vigilante.  Além disso, os assaltantes cortaram todo o cabeamento de comunicação do PSF. Com isso, a unidade está sem internet e sem telefone, o que impede o seu funcionamento, uma vez que todo o sistema é ligado com o Ministério da Saúde de maneira on line.

A diretora da Atenção Básica, Larissa Raquel Kchimel, faz um apelo à população para que ajude a cuidar das unidades de saúde, porque é um patrimônio de todos os cidadãos. “Na semana passada tivemos um problema com assalto durante o expediente no PSF do Parque Cuiabá. Assaltaram os pacientes e os servidores e ainda ameaçaram voltar. Agora aconteceu este roubo com muita violência. Precisamos da ajuda de todos para que possamos conseguir manter o atendimento para população. Cada vez que acontece um problema desses nas nossas unidades, precisamos parar o serviço para recuperar o que foi perdido. Contamos com o apoio da população para denunciarem qualquer movimento suspeito que vejam em alguma de nossas unidades”, pediu.

Comente esta notícia