facebook-icon-color.png instagram-icon-color.png twitter-icon-color.png youtube-icon-color.png tiktok-icon-color.png
Cuiabá, 20 de Junho de 2024
20 de Junho de 2024

30 de Novembro de 2022, 09h:07 - A | A

POLÍCIA / ESTAVA BÊBADO

Policial penal que atropelou cinco pessoas em Cuiabá é solto pela Justiça

Acusado vai usar tornozeleira eletrônica e não pode frequentar bares e boates durante o processo.

APARECIDO CARMO
DO REPÓRTER MT



O policial penal Lindomar Silva Araújo, que atropelou cinco pessoas, entre elas uma criança de 4 anos, no bairro Jardim Florianópolis, em Cuiabá, na segunda-feira (28), foi solto em audiência de custódia conduzida pela juíza Ana Cristina Silva Mendes nessa terça-feira (29).

Conforme o boletim de ocorrência, Lindomar dirigia um Fiat Doblô quando avançou o cruzamento e bateu em um Fiat Strada que vinha na preferencial. Com o impacto, ele perdeu o controle e atropelou as pessoas que estavam na calçada. As vítimas foram socorridas pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e encaminhadas para o Hospital Municipal de Cuiabá (HMC).

>>> Clique aqui e receba notícias de MT na palma da sua mão

Em sua decisão, a magistrada considerou que “verifica-se que há prova da materialidade e indícios de autoria delitiva”, mas considerou o crime de natureza culposa, isto é, quando não há intenção por parte do autor. Por essa razão, a prisão em flagrante não foi convertida para preventiva. Além disso, a juíza ressaltou o fato de Lindomar ser réu primário.

Apesar de ter se recusado a fazer o teste do bafômetro, os policiais militares que atenderam o caso registraram no boletim de ocorrência atestando que Lindomar tinha os olhos vermelhos, pupilas dilatadas, odor de álcool no hálito, agressividade e fala alterada, além de “forte odor de quem fez suas necessidades fisiológicas na calça”.

A juíza determinou que o policial penal permaneça sob “monitoramento eletrônico”. Também determinou que o réu compareça a todos os atos do processo quando for intimado, que não mude de endereço sem comunicar à Justiça e o proibiu de frequentar “bares, boates e congêneres”.

“Não há elementos concretos e objetivos que demonstrem que, em liberdade, conturbará a colheita de provas ou se furtará da aplicação da lei penal”, concluiu a decisão.

LEIA MAIS - Motorista bêbado atropela cinco pessoas em Cuiabá

Comente esta notícia

Raquel 30/11/2022

Engraçado a juiza soltou o policial? Achou que não teve ação de atropelar?Porque? Ele estava bêbado,os olhos vermelho e esse vermelho não seria drogas,estava exaltaltadod com os colegas de farda,não aceitou fazer o bafometro, e a Juíza achou que ele não teve intenção de atropelar,pois ele bebeu dirigiu e não estava drogado e nem bêbado,e aí soltou o policial ( inocente) vai ficar com a golinha de monitoramento eletrônico,o policiais até casgou,ou urinou de tão bêbado, agressivo,não teve intenção de atropelar,hora que ele começou beber sabia que não poderia dirigir-se!! Dra Juíza faz uma reflexões se fosse seus parentes atropelado a vossa senhoria soltava ele ou ele estava preso!!

positivo
0
negativo
0

1 comentários

1 de 1