Cuiabá, 12 de Agosto de 2022
logo

02 de Julho de 2022, 11h:32 - A | A

POLÍCIA / CONFIRA AS IMAGENS

Novos vídeos mostram confusão que resultou em morte de policial e Paccola ao lado do corpo

Em um dos vídeos é possível ver Alexandre caído no meio da rua, enquanto sua namorada, desesperada, grita com o vereador Tenente Coronel Paccola (Republicanos).

JOÃO AGUIAR
DO REPÓRTER MT



Vídeos de câmeras de segurança e de populares mostram trecho da confusão que resultou na morte do policial penal Alexandre Miyagawa, de 41 anos, na noite dessa sexta-feira (1º), no bairro Duque de Caxias, em Cuiabá. Ele foi atingido por um tiro, disparado pelo vereador Tenente Coronel Paccola (Republicanos). (Assista os vídeos abaixo)

No primeiro vídeo é possível ver o carro de Alexandre e sua namorada, Janaina Sa, passando em alta velocidade e entrando na contramão. Quando passaram pelo cruzamento, quase causaram um grave acidente.

>>> Clique aqui e receba notícias de MT na palma da sua mão

Logo depois o carro para e começa uma confusão no local e aglomeração de pessoas.

O segundo vídeo da câmera de segurança mostra o vereador Paccola chegando no local e conversando com populares, tentando entender o que aconteceu. Ele vai até onde Alexandre estava e após um tempo é possível ver o clarão do tiro.

Leia mais sobre o caso

Foto mostra que policial foi morto por vereador com arma na cintura; celular estava na mão

Namorada de policial morto por vereador nega ameaças e chama Paccola de mentiroso

Vereador Paccola mata agente penal do Pomeri em confusão no Goiabeiras

Paccola diz que matou agente penal por legítima defesa para neutralizar ameaça

A terceira imagem foi filmada por um popular que estava na região. É possível ver os gritos de Janaina, logo após seu namorado ser atingido por um tiro disparado pelo vereador. O parlamentar está ao telefone, enquanto Janaina está desesperada e questiona: “Meu Deus do céu, Paccola. Por que você fez isso?”

Até o momento existem duas versões. O vereador Paccola afirma que viu o agente penal e a mulher discutindo no meio da rua. Paccola diz que se identificou e disse várias vezes para que Japão jogasse a arma no chão, o que, segundo ele, não teria sido obedecido. O vereador alega que o policial penal esboçou uma reação e ele atirou por legítima defesa.

Já a namorada do policial penal nega as ameaças, chamou o parlamentar mentiroso e disse que o namorado morreu sem sacar a arma, que estava na cintura, segundo ela.

Paccola chegou a ser encaminhado para a Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) e entregou sua arma. Ele prestou esclarecimentos e foi liberado no final da noite.

 

Comente esta notícia

Mário covas 02/07/2022

Bolsominio andam com sede, se tiver oportunidade não deixam passar batido.

Lembrete 02/07/2022

Pergunta quem é o candidato a presidente desse vereador. Porque ele foi pra reserva?

2 comentários

1 de 1