facebook-icon-color.png instagram-icon-color.png twitter-icon-color.png youtube-icon-color.png tiktok-icon-color.png
Cuiabá, 15 de Julho de 2024
15 de Julho de 2024

09 de Julho de 2024, 15h:04 - A | A

POLÍCIA / INQUÉRITO CONCLUÍDO

Mandante de assassinato temia perder fazenda por conta da proximidade entre Zampieri e desembargador, diz polícia

Ricardo Zampieri foi executado em frente de seu escritório no momento em que entrava em seu carro, em dezembro de 2023.

THIAGO STOFEL
REPÓRTERMT



O delegado Nilson Farias, da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), revelou que o fazendeiro Aníbal Manoel, indiciado por ser o mandante do assassinato do advogado Roberto Zampieri, desconfiava que perderia a fazenda na Justiça por conta da proximidade do advogado e do desembargador que julgava o caso. Por conta disso, Aníbal decidiu planejar a morte do jurista, que foi assassinado com 10 tiros em dezembro de 2023, em frente ao escritório no Bosque da Saúde, em Cuiabá. 

LEIA MAIS - Fazendeiro é indiciado como mandante de assassinato de advogado em Cuiabá

>>> Clique aqui e receba notícias de MT na palma da sua mão

LEIA MAIS - Viúva tenta reaver novamente celular de advogado assassinado e juiz nega

Nison explicou que após o irmão de Aníbal perder parte da fazenda na Justiça, o fazendeiro desconfiou que também perderia sua parte e, com isso, seria obrigado a deixar a propriedade avaliada em R$ 100 milhões.

“Ele estava com muito receio de perder a fazenda. A propriedade tinha dois donos, porque eram duas fazendas que se tornaram uma, porém, ainda era divido entre os irmãos. Na Justiça, o cliente do Zampieri ganhou a parte do irmão de Aníbal, e por conta disso ele ficou com medo de perder também. E esse receio vinha por conta da proximidade que ele aponta que existia entre o advogado e o desembargador do caso”, disse o delegado em entrevista coletiva na manhã desta terça-feira (09), ao dar detalhes sobre a conclusão do inquérito.

O delegado relatou ainda que a parte da fazenda do Aníbal era a área mais rentável, já que naquela parte era onde ficava toda plantação de soja, milho e outras coisas.

Essa versão sobre o receio de Aníbal confirma o depoimento do pistoleiro Antônio Gomes da Silva, que executou o crime. Ele disse que em um dos encontros que teve com o ex-coronel do exército Luiz Caçadini, o ex-militar atendeu o telefone e ouviu uma pessoa dizer que o crime tinha que ser cometido logo, antes que Aníbal perdesse a terra igual ao irmão.

O advogado Roberto Zampieri foi assassinado com disparos de arma de fogo em dezembro de 2023, no bairro Bosque da Saúde, próximo ao escritório dele, no momento em que ele entrava em seu carro. 

 

Comente esta notícia