Cuiabá, 31 de Janeiro de 2023
logo

17 de Dezembro de 2014, 15h:43 - A | A

POLÍCIA / LAUDO DO IML

Empresário teria consumido cocaína e álcool antes de se afogar em Manso

O laudo mostrou que o organismo da vítima tinha uma substância com aspecto de massa compatível com cocaína, além de álcool.

JOÃO RIBEIRO
DA REDAÇÃO



O exame de alcoolemia e toxicológico feito pelo Instituto Médico Legal (IML) apontou que o empresário Thiago Rockenbach, de 32 anos, estaria bêbado e drogado, quando se afogou nas águas do Lago do Manso, região da Chapada dos Guimarães (66 km de Cuiabá), há pouco mais de um mês.

O laudo mostrou que o organismo da vítima tinha uma substância com aspecto de massa compatível com cocaína, além de álcool.

>>> Clique aqui e receba notícias de MT na palma da sua mão

Segundo informações da Polícia Civil, o delegado da comarca de Chapada Guimarães, Diego Alex Martimiano da Silva, enviou nesta quarta-feira (17) ao Fórum da cidade, o inquérito relatando que não houve nenhum tipo de crime e ainda, sugerindo o arquivamento os autos. O laudo de necropsia feito no corpo da vítima, concluiu morte por afogamento (asfixia mecânica).

A perícia feita na lancha e no jet ski concluiu que os danos apresentados são compatíveis com o contato dos veículos decorrente com o contato na vegetação ,localizada às margens do lago.

O AFOGAMENTO

No dia 18 de outubro, o empresário e as amigas dele, Tatiana Corteze Oliveira, de 18 anos, e Isadora Gonçalves Vieira, de 21 anos, estavam na lancha navegando, quando uma delas decidiu andar com o jet ski.

Porém, diante do mau tempo, tiveram que abortar o passeio. Com isso, o empresário tentou prender a moto aquática na lancha. No mesmo momento, uma das jovens caiu na água ao tentar passar do jet ski para o barco. Percebendo que a jovem estava sendo levada pelas ondas, a amiga que estava no barco pulou na água para ajudá-la.

Segundo as duas, Thiago ainda tentou ligar a lancha para tentar se aproximar das garotas, mas não teve sucesso. Em seguida, ele pulou na água sem colete, segundo a polícia, não sendo mais visto. As meninas nadaram até uma ilha e foram resgatadas por outros banhistas no dia 19. 

O corpo de Thiago só foi localizado quatro dias depois. O cadáver foi encaminhado para o Instituto Médico Legal (IML) de Cuiabá. 

LEIA MAIS AQUI

Empresário havia bebido antes de tentar salvar amigas que caíram na água

Corpo de empresário passa por exame no IML de Cuiabá

Comente esta notícia

MARIANE REIS 17/12/2014

INACREDITAVEL COM TODA SERIEDADE, Q TINHA.....

Sardinha 17/12/2014

Há expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas. Queira, por gentileza, refazer o seu comentário

2 comentários

1 de 1