Cuiabá, 02 de Julho de 2022
logo

Domingo, 13 de Novembro de 2011, 14h:40 - A | A

CRIMINALIDADE

Crime de latrocínio aumenta 91% na Grande Cuiabá

Segundo a polícia, não se pode reagir a um assalto, no momento é preciso muita calma e ficar atento às determinações do bandido

MAYARA MICHELS

O roubo seguido de morte – o latrocínio – vem assustando a população de Cuiabá devido à frequência de casos. Em geral, a ocorrência tem ocorrido dentro da própria residência da vítima. O lugar onde a pessoa se sentia segura está virando mais um local perigoso. Neste ano já foram registrados 21 latrocínios, enquanto que no mesmo período do ano passado, apenas 11 casos.

O coronel da PM Zaqueu Barbosa, em entrevista ao RepórterMT, voltou a lembrar a população que, em caso de assalto, não se pode reagir, em hipótese alguma. Segundo o coronel, nenhuma vítima tem preparo emocional para enfrentar tal situação.

"A pessoa tem que obedecer às determinações do bandido que pratica o delito, evitar movimentos bruscos e principalmente manter calma para coletar o máximo de informações do criminoso para passar a polícia posteriormente", explicou o coronel.

Para o delegado Antônio Garcia, da Delegacia de Homicídios Proteção à Pessoa (DHPP), tentar fugir é uma reação que pode terminar em morte. “O bandido te aborda no carro, se você pisa no acelerador, ele pode te matar. Jamais deve reagir a um assalto”, revelou.

Na última quinta-feira (10), o tosador de animais Josias Ferreira, 39 anos, foi assassinado com um tiro no pescoço durante um assalto dentro de sua casa. O crime ocorreu por volta das 22h, quando ele e sua família assistiam novela na sala da residência.

Um criminoso pulou o muro da casa e com uma arma na mão invadiu a sala anunciando o assalto. Segundo a DHPP a vítima não queria entregar a chave do veículo. “Segundo o depoimento da família, o morador colocou a chave do carro do bolço e não aceitava a ordem do criminoso de entregar. O bandido empurrou ele até o banheiro com a intenção de trancá-lo, mas a reação continuou e ele foi baleado”, comentou o delegado.

Josias Ferreira era casado há 18 anos, estava com esposa e os quatro filhos em casa quando o crime ocorreu.  O bandido e o comparsa que ficou do lado de fora fugiram levando uma televisão e dois celulares. Josias morreu segurando a chave do carro, que não foi levado pelos criminosos.
 

Comente esta notícia

Dagmar Rodrigues Alcantara 13/11/2011

ATE QND VAMOS VIVER ESTA IMPUNIDADE,APESAR QUE A POLICIA PRENDE MAIS AS LEIS SAO TAO PRANDA QUE LONGO ESTARAO SOLTO,NESTE CASO SO LAMENTAR QUE + UMA FAMILIA DESAGREGADA PELA UMA GRANDE PERCA,QUE DEUS CONSOLE ESTA FAMILIA...

1 comentários

1 de 1