Cuiabá, 19 de Agosto de 2022
logo

06 de Julho de 2022, 17h:55 - A | A

POLÍCIA / GUERRA DE FACÇÕES

Corpo sem cabeça e mãos amarradas é encontrado em fazenda

Suspeita é de que o cadáver seja do adolescente Ariel da Silva Andrade, de 15 anos, que desapareceu no dia 30 de maio.

JOÃO AGUIAR
DO REPÓRTER MT



Um corpo foi encontrado nesta quarta-feira (06), enterrado em uma fazenda, com as mãos amarradas e a cabeça decapitada, em Juruena (880 km de Cuiabá). A suspeita é de que o cadáver seja do adolescente Ariel da Silva Andrade, de 15 anos, que desapareceu no dia 30 de maio.

De acordo com a Polícia Civil, a identificação pode ser confirmada pela altura do cadáver e as vestes encontradas, semelhantes às que o adolescente usava na noite em que desapareceu – uma camiseta azul e uma bermuda vermelha.

>>> Clique aqui e receba notícias de MT na palma da sua mão

O jovem saiu da cidade na noite do dia 30 de maio, com um grupo de conhecidos. Por volta das 18h, o grupo saiu do local e o rapaz foi visto pela última vez, após enviar uma mensagem por celular, quando estava próximo a um posto de combustível.

Leia também

Policiais encontram Coca-Cola 'recheada' de celulares em presídio feminino

Durante diligências, os agentes descobriram que Ariel teria dito, em seu antigo trabalho, que vinha do Maranhão e que supostamente tinha integrado uma facção criminosa. Nas redes sociais, mostrava um código que identifica o grupo criminoso.

A suspeita, conforme a primeira investigação dos policiais, é de que o adolescente tenha sido executado a mando de uma facção rival, após ser descoberto pelos criminosos durante sua passagem pela cidade.

“O modo como o corpo foi encontrado - com mãos amarradas e a cabeça decapitada – é um claro indício de crime cometido por facção criminosa”, apontou o delegado Mateus Reiners.

A perícia da Politec foi acionada para recolhimento do corpo e análise do local. O delegado explica que aguardará o resultado do exame de necropsia para confirmar a identidade.

Um familiar do adolescente também foi ouvido pela Polícia Civil e a equipe da Delegacia de Juruena está com outras diligências em andamento para esclarecer as circunstâncias e autoria do crime.

Comente esta notícia