facebook-icon-color.png instagram-icon-color.png twitter-icon-color.png youtube-icon-color.png tiktok-icon-color.png
Cuiabá, 17 de Maio de 2024
17 de Maio de 2024

29 de Setembro de 2010, 10h:59 - A | A

POLÍCIA /

Casa caiu: polícia prende golpista que falsificava carteiras de motorista



JOANICE DE DEUS
DIÁRIO DE CUIABÁ

Considerado um dos mais habilidosos golpistas em falsificação de documentos, o montador de móveis Ednaldo Dias da Silva, 34 anos, mais conhecido como "Faísca", foi preso em flagrante anteontem à noite por policiais civis do Centro Integrado de Segurança e Cidadania (Cisc) do Coxipó, em Cuiabá. Sua prisão levou à localização de outro homem acusado de estupro e por uso de documentação falsa.

>>> Clique aqui e receba notícias de MT na palma da sua mão

Há vários meses Ednaldo Dias é procurado pela prática de estelionato na região Coxipó. De acordo com a polícia, a maioria dos golpes aplicados pelo acusado consiste em locar mesas, cadeiras e outros utensílios de festas em distribuidoras. Para isso, ele utiliza nomes falsos. Posteriormente, Faísca vende os objetos alugados.

Com ele, a polícia encontrou duas Carteiras Nacionais de Habilitação (CNHs) em nomes de Moacir Santos e Cíntia Teixeira da Silva. Ao ser indagado sobre os documentos, ele disse que as carteiras eram verdadeiras e que foram encomendadas pelos motoristas que não desejam fazer os testes de habilitação exigidos pelo Departamento Estadual de Trânsito (Detran). Pelos documentos teriam sido pagos entre R$ 600 e R$ 800.

Faísca comentou ainda que atua apenas como intermediário e quem "fabrica" os documentos seria um rapaz identificado apenas como Emerson, mais conhecido como "Bolacha". O acusado disse que conheceu Bolacha no ano passado em um lava-jato e que ele trabalha no Detran e faz "esquema" de CNH falsas.

Procurada pela reportagem, a assessoria de imprensa do órgão estadual de trânsito informou que no setor de Habilitação não há funcionário com o nome citado pelo detido, mas que a Corregedoria iria checar as informações e que seria feita perícia nas CNHs para confirmar se foram ou não confeccionadas em papel comum (falsificação).

O Faísca comentou ainda que para a confecção das carteiras Emerson cobra entre R$ 200 e R$ 250. Porém, ele repassava aos interessados por R$ 600 a R$ 800.

Aos policiais, o acusado confessou também que fez carteiras de Ilson da Silva, 39 anos, que tinha mandado de prisão pelo estupro de sua cunhada, sendo que sua condenação ocorreu à revelia em razão de não comparecer a nenhuma das audiências judiciais.

Ilson foi preso em flagrante no bairro São Sebastião, na Capital. Na casa dele, os policiais também apreenderam uma CNH falsa. Ao ser interrogado sobre a origem do papel, o acusado confirmou que adquiriu com Faísca.

Conforme a assessoria da Polícia Civil, nos Centros Integrados de Segurança do Coxipó e do Planalto há vários registros de boletins de ocorrências de vítimas contra Edinaldo. Ele também já chegou a ser preso pelos policiais do Cisc Planalto.

Comente esta notícia