facebook-icon-color.png instagram-icon-color.png twitter-icon-color.png youtube-icon-color.png tiktok-icon-color.png
Cuiabá, 13 de Junho de 2024
13 de Junho de 2024

22 de Dezembro de 2022, 11h:30 - A | A

POLÍCIA / SHOPPING POPULAR

Após assassinato, lojistas pedem mais segurança: “Tem que monitorar as pessoas que entram”

Joseonaldo Ferreira de Araújo, 44 anos, foi executado com tiro na cabeça dentro do Shopping Popular, na segunda-feira (19). Lojas do empresários estão fechadas.

JOÃO AGUIAR
DO REPÓRTERMT



Após a execução do empresário Joseonaldo Ferreira de Araújo, 44 anos, que aconteceu no início da noite de segunda-feira (19), alguns lojistas do Shopping Popular, em Cuiabá, ficaram receosos com o risco de novos crimes no local. Apesar disso, o movimento segue normal.

Joseonaldo era conhecido como “Naldo Rei do Tereré” e tinha duas lojas no shopping. Passando local é marcante ver que as bancas estão fechadas e com avisos: Luto em família. Ele tinha as lojas desde 2014.

>>> Clique aqui e receba notícias de MT na palma da sua mão

Lojistas próximos relataram ao Repórter MT que o empresário era querido por todos, não sabiam de rixa nenhuma e que ele era uma boa pessoa. “A gente ficou surpreso com isso, ninguém imaginava que isso aconteceria”, conta uma comerciante que não quis se identificar.

Leia mais

Tiroteio deixa dois mortos no Shopping Popular em Cuiabá

Vídeo mostra execução de comerciante no Shopping Popular em Cuiabá

Um dos comerciantes ‘vizinhos’ de Naldo é o empresário Alex Luz Dantas, dono de um box no local. Ele conta que tinha boa relação com o lojista. “A gente convive juntos, era vizinho de box, eu conhecia a família dele, a gente bebia cerveja juntos”. “Sentimento de dor, né. Aqui é como se fosse nossa casa”, lamenta.

Sobre a segurança, Alex afirma que acha que o shopping devia monitor mais ‘pessoas estranhas’ que entram no local. “O acesso aqui é fácil, qualquer um entra. Aqui deveria monitorar mais as pessoas que entram, como já tem bastante câmera, colocar o foco em pessoas estranhas”, diz.

“O acesso aqui é fácil, qualquer um entra. Aqui deveria monitorar mais as pessoas que entram, como já tem bastante câmera, colocar o foco em pessoas estranhas”

Ainda segundo ele, após o ocorrido, ele não se sente seguro de levar o filho pequeno para sua loja. “Eu tenho meu filho de 8 anos, ele fica aqui todo dia, por necessidade. É por necessidade, senão não traria”.

Apesar disso, salienta que “nenhum lugar é seguro”. “Hoje o meio de segurança que a gente tem são as câmeras e aqui é cheio disso. Não vai evitar, mas pode ser que com aquelas câmeras consiga resolver depois”.

O empresário não acredita, porém, que o assassinato vá afastar clientes do local. “A pessoa que vem aqui, ela vem porque conhece o ambiente. Então se vem comprar, ela não vai afastar por causa disso. Até porque outros lugares também tem assalto, homicídio”, diz.

Outros comerciantes também foram ouvidos pela reportagem. A maioria não quis comentar sobre o crime, mas estão receosos com o futuro. "A gente não sabe o que pode acontecer".

“O Shopping Popular tem mais de 300 câmeras, qualquer lugar que uma pessoa for entrar, ela é monitorada. Aqui não tem uma porta, não tem um local que não tenha uma câmera de monitoramento”

Shopping Popular garante segurança

O Repórter MT também conversou com Misael Galvão, presidente do Shopping Popular, que salienta que o shopping é “mais seguro que muitos outros comércios de Cuiabá”. “Aqui é um local seguro, tem segurança, tem câmeras e toda garantia que o cliente possa vir fazer suas compras com tranquilidade”, afirma.

“O Shopping Popular tem mais de 300 câmeras, qualquer lugar que uma pessoa for entrar, ela é monitorada. Aqui não tem uma porta, não tem um local que não tenha uma câmera de monitoramento”, enfatiza.

Misael também lamenta a morte do empresário.

“Infelizmente perdemos um trabalhador, um pai de família. Estamos enlutados”.

O crime

Joseonaldo Ferreira de Ajaúro, 44 anos, foi executado com um tiro na cabeça no início da noite de segunda-feira. Wenderson e Bruno entraram no Shopping Popular se passando por clientes e foram até o box da vítima.

Lá, conversaram com o homem, até que Wenderson o surpreendeu com um tiro na cabeça.

Após isso, os dois saíram correndo para fora do estabelecimento. Quando chegaram próximo ao Ginário Dom Aquino se depararam com uma equipe da Cavalaria, que passava pelo local, fazendo patrulhamento.

Houve troca de tiros e Wenderson acabou atingido. O criminoso ainda tentou escapar, chegou a pegar uma criança para tentar fazer de refém, mas morreu no local.

 

Comente esta notícia

Dr Peninha 22/12/2022

Tem que andar certo, ser correto, honesto e cumpridor de suas obrigações. Tô certo ou tô errado?

positivo
0
negativo
0

1 comentários

1 de 1