facebook-icon-color.png instagram-icon-color.png twitter-icon-color.png youtube-icon-color.png tiktok-icon-color.png
Cuiabá, 15 de Julho de 2024
15 de Julho de 2024

12 de Novembro de 2017, 07h:40 - A | A

PODERES / VEJA O VÍDEO

Toninho revela plano de Emanuel e vereadores para 'melar' CPI do Paletó

Segundo o vereador, no dia em comunicou o prefeito sobre sua saída da base, o peemedebista realizou uma reunião emergencial para que os aliados assinassem a CPI e exigissem presidência ou a relatoria da comissão.

RAFAEL DE SOUSA
DA REDAÇÃO



O vereador Toninho de Souza (PSD) revelou que pelo menos nove parlamentares que compõem a base aliada do prefeito Emanuel Pinheiro (PMDB), assinaram o pedido de abertura da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) a mando do peemedebista com o objetivo de “melar” as investigações contra ele por suposto recebimento de propina e obstrução à Justiça.

"Eles vão querer relatoria, vão querer o membro efetivo, ou seja, dominar a CPI”, observou Toninho.

Em entrevista ao Conexão Poder, Toninho explicou que no dia em que comunicou o prefeito sobre sua saída da base aliana na Câmara Municipal e a decisão de assinar a denominada "CPI do Paletó", o peemedebista realizou uma reunião emergencial, em sua casa, com os vereadores aliados com o objetivo de "incharem" a CPI para tomar a presidência e a relatoria da comissão, que foi representada pela oposição e agora já conta com 18 assinaturas.

>>> Clique aqui e receba notícias de MT na palma da sua mão

“[Quando isso aconteceu] o prefeito reuniu a sua base à noite e definiu a estratégia de assinar essa CPI na qual o encaminhamento era entrar para CPI e depois tomar o comando da CPI”, declarou.

É que teoricamente quem deveria ser escolhido o presidente da CPI seria o vereador Marcelo Bussiki (PSB), autor do requerimento, mas com a base assinando o documento será preciso ocorrer uma votação que pode ser por meio do Colégio de Líderes, Mesa Diretora ou Plenário da Câmara.

“[Quando isso aconteceu] o prefeito reuniu a sua base à noite e definiu a estratégia de assinar essa CPI na qual o encaminhamento era entrar para CPI e depois tomar o comando da CPI”, declarou.

“Na próxima terça-feira (14), estamos antevendo isso. Eles vão querer relatoria, vão querer o membro efetivo, ou seja, dominar a CPI”, observou Toninho.

No entanto, segundo o parlamentar, a solução é de que o requerimento seja aceito com a data de protocolo do dia 7 de novembro, quando apenas nove parlamentares haviam assinado o documento. Porém, caso o pedido seja desrespeitado, o bloco de oposição já discute entrar com uma ação judicial para garantir o direito.

“Então é isso que a nossa parte está fazendo. Estamos estudando meios legais para que a Justiça entenda que a CPI foi aberta a partir do prazo desse protocolo com nove assinaturas. A Justiça reconhecendo isso, os membros dessa CPI sairiam dessas assinaturas que estão protocoladas”, afirmou.

Os nove parlamentares que assinaram o pedido de abertura da CPI, são os vereadores Marcelo Bussiki, Abílio Brunini (PSC), Joelson Amaral (PSC), Elizeu Nascimento (PSDC), Felipe Wellaton (PV), Dilemário Alencar (Pros), Gilberto Figueiredo (PSB), Diego Guimarães (PP), Toninho de Souza (PSD), Luís Cláudio (PP) e Adevair Cabral (PSDB).

A denúncia

Emanuel Pinheiro foi denunciado no acordo da delação do ex-governador, Silval Barbosa com a Procuradoria-Geral da República.

Nas imagens feitas pelo ex-chefe de gabinete de Silval, Silvio Corrêa, Emanuel aparece enchendo os bolsos do paletó, com R$ 20 mil, dentro da sede do Governo do Estado. O ex-governador afirma que o montante era propina paga a Emanuel, que era deputado, e outros flagrados, para dar apoio à sua gestão.

Desde que o vídeo veio à tona, a Polícia Federal realizou busca em apreensão na casa do prefeito, além de afirmar que uma gravação em áudio encontrada entre os produtos adquiridos foi adulterada com o objetivo de tentar anular a delação de Sílvio Correa e inocentar o prefeito.

A gravação feita por Alan Zanatta, aliado do prefeito, em que Sílvio revela como ocorreu o processo de negociação do acordo com a PGR, segunda a PF, foi adulterado pelo grupo do prefeito.

Clique aqui e assista na íntegra

Comente esta notícia

Carlos 13/11/2017

Isso mesmo meu nobre vereador, faça so o seu papel. Não sou contra o Emanuel mas o povo precisa saber a verdade. Temos que ter um representante e vc é essa pessoa que fala por nós no legislativo municipal.

positivo
0
negativo
0

Carlos 13/11/2017

Vc prova isso?

positivo
0
negativo
0

jc 13/11/2017

Ou então alguém mandou ele virar a casaca.

positivo
0
negativo
0

Ana 13/11/2017

Isso mesmo Vereador Toninho, os outros vereadores da base do prefeito estão querendo acabar com a CPI, mas sei que vcs não vão deixar isso acontecer e outra se a base do prefeito estão fazendo isso é pq o prefeito tem culpa no cartório . Siga em frente com essa CPI e mostre a verdade ao povo...

positivo
0
negativo
0

Genovesa 12/11/2017

Esse vereador e louco mesmo, olha q loucura. Primeiro ele e a favor de Emanuel e busca ate juridicamente queinar o seu colega Welaton por fazer CPI. Depois ele me vem a dizer que esta contra o prefeito e quer CPI. Ai tem .pra mim esse cara deve ter pedido algo ao prefeito e nao tendo recebido nada em troca..Ai muda de lado..ou ao menos quer algo pra si..pedindo algo.

positivo
0
negativo
0

Teka Almeida 12/11/2017

Não entendi por que está reclamando, o PSD é partido de apoio ao Temer PMDB, inclusive fez até troca de deputados titulares na CCJ para barrar a investigação. Agora vem dizer que querem melar a CPI do Paletó do prefeito do PMDB.... É muita DEMAGOGIA...... Se fosse outro vereador/partido reclamando até dava apoio, mas você, logo você....

positivo
0
negativo
0

6 comentários

1 de 1