facebook-icon-color.png instagram-icon-color.png twitter-icon-color.png youtube-icon-color.png tiktok-icon-color.png
Cuiabá, 15 de Julho de 2024
15 de Julho de 2024

09 de Outubro de 2017, 11h:51 - A | A

PODERES / VIROU INVESTIGADO

Taques reclama do Ministério Público e acusa omissão sobre ações de Perri

O governador Pedro Taques apontou que o desembargador Orlando Perri tem praticado “ilegalidade investigativa”, “trazendo para si casos que não são de sua competência”, e que o MPE não tomou providências legais a esse respeito.

CAROL SANFORD
DA REDAÇÃO



O governador Pedro Taques (PSDB) disse ter ficado surpreso com o que chamou de “total omissão” do Ministério Público do Estado (MPE) em relação do desembargador do Tribunal de Justiça, Orlando Perri, a respeito da investigação das interceptações telefônicas clandestinas em Mato Grosso.

Taques apontou que Perri tem praticado “ilegalidade investigativa, trazendo para si casos que não são de sua competência” e que o MPE não tomou providências legais a esse respeito.

>>> Clique aqui e receba notícias de MT na palma da sua mão

Quero registrar também minha surpresa com a total omissão do MPE em não tomar providências legais contra o que considero um juízo universal, vez que o desembargador do TJMT está praticando uma ilegalidade investigativa na condução das investigações, trazendo para si casos que não são de sua competência”, afirmou o governador, em depoimento ao procedimento que investigou suposta fraude do promotor Mauro Zaque, responsável pela denúncia dos “grampos”.

As críticas de Taques referem-se às prisões, determinadas por Perri, dos ex-secretários de Estado, Rogers Jarbas (Segurança Pública), Airton Siqueira (Justiça), Paulo Taques (Casa Civil) e Evandro Lesco (Casa Militar).

Em razão desses fatos, os secretários da Casa Civil, da Justiça, da Comunicação e Segurança estão sendo investigados pelo mesmo desembargador, feitos em sua maioria, instaurados a partir de representações levadas a efeito pelo promotor de Justiça Mauro Zaque”.

Taques declarou que em seu entendimento, Perri não poderia atuar na investigação, que deveria ser levada ao âmbito do Superior Tribunal de Justiça (STJ). Para ele, o MPE também está sendo omisso na investigação de juízes e promotores que autorizaram as escutas clandestinas.

Não entendo também como não estão sendo tomadas providências em relação aos juízes que deferiram as medidas e em face dos promotores, enquanto os policiais militares estão respondendo a ações de improbidade e continuam presos”, declarou.

O procedimento contra Mauro Zaque foi arquivado pelo MPE, na sexta-feira (6). O órgão entendeu que a suposta fraude no protocolo não foi praticada pelo promotor, mas sim no âmbito do Executivo. Taques será investigado pela Procuradoria-Geral da República (PGR) a respeito do caso.

Leia mais

MP arquiva processo contra Zaque e manda investigar governador

Comente esta notícia

jose de faria lima 09/10/2017

Mas não foi ele mesmo quem pediu para ser investigado? Não estou entendendo o mimimi....

positivo
0
negativo
0

Mauro 09/10/2017

Taxi tá se borrando pq os presos estão prestes a admitir tudo e fazer delação...

positivo
0
negativo
0

2 comentários

1 de 1