Cuiabá, 12 de Agosto de 2022
logo

27 de Dezembro de 2017, 14h:25 - A | A

PODERES / DIA 15 DE JANEIRO

Rogério Gallo assume Sefaz e promete não aumentar impostos

Rogério Gallo é servidor de carreira do Estado e reafirmou o compromisso em não aumentar a carga tributária, assim como foi feito desde o início da gestão.

DA REDAÇÃO



O atual procurador-geral do Estado, Rogério Gallo, assume a Secretaria de Fazenda, em substituição a Gustavo de Oliveira, no dia 15 de janeiro. Até lá, a pasta estará em período de transição, sob comando do secretário interino de Fazenda, Vinicius Saragiotto.

“O ano de 2017 foi difícil para Mato Grosso e para todos os outros estados, assim como para as prefeituras. Há 12 estados com problema seríssimo de caixa", afirmou Gallo.

Rogério Gallo é servidor de carreira do Estado e reafirmou o compromisso em não aumentar a carga tributária, assim como foi feito desde o início da gestão. “Dezoito estados da Federação decidiram por aumentar a carga tributária, os impostos. Aqui em Mato Grosso, optamos por ir atrás das dívidas e deu certo. Fica meu compromisso e do governador Pedro Taques de que, em 2018, também não aumentaremos a carga tributária”, garantiu.

>>> Clique aqui e receba notícias de MT na palma da sua mão

O governador Pedro Taques fez uma avaliação do trabalho na Sefaz nos últimos anos, reconhecendo o trabalho de Gustavo de Oliveira frente à pasta. “O ano de 2017 foi difícil para Mato Grosso e para todos os outros estados, assim como para as prefeituras. Há 12 estados com problema seríssimo de caixa. Graças ao trabalho desenvolvido pelo secretário Gustavo de Oliveira, conseguimos pagar os salários em dia, assim como o 13º dos servidores. Com o dinheiro do FEX, estamos pagando fornecedores e colocando em dia os repasses à saúde. Também estamos rigorosamente em dia com os municípios. Estamos superando desafios e construindo um novo futuro. Terminando o ano bem melhor do que começamos. Isso é fruto de um trabalho e esforço contínuo”.

“Missão cumprida na PGE. Arrecadamos R$ 60 milhões da dívida ativa no ano passado e, esse ano, foram R$ 250 milhões. Quatro vezes mais, graças ao trabalho com afinco que desenvolvemos com nossa equipe em busca desses débitos, que muito fizeram falta à nossa economia”, diz.

Rogério Gallo também avaliou os resultados obtidos enquanto esteve frente à PGE e listou as prioridades que terá na Sefaz. “Missão cumprida na PGE. Arrecadamos R$ 60 milhões da dívida ativa no ano passado e, esse ano, foram R$ 250 milhões. Quatro vezes mais, graças ao trabalho com afinco que desenvolvemos com nossa equipe em busca desses débitos, que muito fizeram falta à nossa economia”.

“Passamos por um período de crise, mas a esperança de melhorar é concreta. Aprovamos o teto de gastos e teremos recursos para investir. Cada mês será melhor que o anterior no ano que vem. Recebo uma secretaria melhor do que aquela que Gustavo pegou. Medidas muito importantes de austeridade foram tomadas. A prioridade é fazer o ajuste fiscal e fazer caber as despesas dento do orçamento aprovado pela Assembleia Legislativa”, disse.

Mudanças no Staff

Segundo o governador Pedro Taques, as mudanças no staff do Governo já eram previstas e seguem um fluxo normal. “Já havia esse combinado com o secretário Gustavo de que ele ficaria até dezembro, porque precisa assumir outro compromisso e continuará ajudando o Estado de lá. Os secretários que serão candidatos nas próximas eleições, como os deputados Max Russi e Wilson Santos, por exemplo, sairão no prazo legal, como já combinamos. É normal.”

No Detran-MT, Arnon Osny segue na presidência até 15 de janeiro, quando devem terminar as entregas previstas, como reformas de Cinetrans por todo o Estado. “Osny precisa cuidar da saúde e isso também já estava combinado. Em breve decidiremos quem assume”, afirmou o governador.

Na PGE, Taques afirma que a escolha pela pessoa que substitui Rogério Gallo deve ser tomada em breve.

 

 

Comente esta notícia