facebook-icon-color.png instagram-icon-color.png twitter-icon-color.png youtube-icon-color.png tiktok-icon-color.png
Cuiabá, 15 de Julho de 2024
15 de Julho de 2024

12 de Junho de 2024, 17h:00 - A | A

PODERES / TAXAÇÃO DAS "BLUSINHAS"

Medeiros diz que Lula propôs voto não nominal para conseguir aprovar: "Ele deu um golpe na Câmara"

O parlamentar ressalta que votou contra a taxação das blusinhas, assim como seus colegas de oposição, Abilio Brunini e Coronel Fernanda.

DO REPÓRTERMT



O deputado federal José Medeiros (PL) afirmou que se mantém contra o projeto de lei chamado popularmente de “taxação de blusinhas”. Segundo o parlamentar, a proposta que veio do Governo Federal como um “jabuti” foi idealizada apenas pela sanha de ganhar dinheiro. Medeiros destaca ainda que o presidente Lula propôs a votação sem ser nominal para conseguir aprovar, "caso contrário, não passaria". 

Leia mais: Deputados finalizam votação de incentivo a veículos sustentáveis; taxação de ‘blusinhas’ vai à sanção

>>> Clique aqui e receba notícias de MT na palma da sua mão

A famosa “taxação das blusinhas”, que prevê imposto de 20% sobre compras importadas de até US$ 50, está incluída no projeto de lei que institui o Projeto Mover, que busca reduzir as taxas de emissão de carbono da indústria de automóveis até 2030. O projeto começou a ser votado na semana passada, mas teve alteração no Senado e por isso precisou retornar à Câmara dos Deputados. Na noite de terça-feira (11), os deputados federais analisaram apenas as mudanças propostas pelo Senado. A taxação das blusinhas já havia sido aprovada tanto na Câmara, quanto pelos senadores, então este trecho não foi analisado.

Governo enfiou como um jabuti [termo utilizado pelos políticos quando um tema sem qualquer ligação com o assunto principal é inserido na pauta de votação] e deu um golpe na Câmara. O governo pensa só na grana, em ganhar grana. Hoje boa parte das pessoas realizam compras na internet e agora eles estão taxando para ganhar em cima”, disse Medeiros ao Repórter MT.

Na semana passada votamos a taxação e o projeto foi ao Senado. Lá teve modificações e voltou para Câmara. Ontem votamos emendas desse projeto, que não a taxação das blusinhas, porque essa já havia sido votada”, explicou.

O parlamentar ressalta que votou contra a taxação das blusinhas, assim como seus colegas de oposição, Abilio Brunini e Coronel Fernanda.

Abilio reforça a fala de Medeiros e diz que também se opôs à taxação das blusinhas. “O projeto tinha sido aprovado goela abaixo na Câmara e depois aprovado no Senado. Ontem na Câmara votamos apenas as emendas para reduzir os danos do projeto inicial”, pontuou.

Comente esta notícia