facebook-icon-color.png instagram-icon-color.png twitter-icon-color.png youtube-icon-color.png tiktok-icon-color.png
Cuiabá, 24 de Junho de 2024
24 de Junho de 2024

29 de Novembro de 2022, 14h:05 - A | A

PODERES / POLÊMICA NA CÂMARA

Líder de Emanuel, Adevair é contra aumento do IPTU e vai sugerir "plano B"

Vereadores farão audiência pública para debater mensagem do Executivo nesta terça

THAIZA ASSUNÇÃO
DO REPÓRTER MT



O vereador Adevair Cabral (PTB), líder do prefeito Emanuel Pinheiro (MDB) na Câmara Municipal, defendeu que o Executivo faça adequações na mensagem enviada ao Parlamento, que prevê o aumento do IPTU em 2023. Vereadores da oposição afirmam que em alguns bairros o aumento chegaria a 500%.

Adevair disse ser contra o aumento abusivo do IPTU e informou que a mensagem será debatida em audiência pública, que será realizada nesta terça-feira (29), às 19h na Câmara.

>>> Clique aqui e receba notícias de MT na palma da sua mão

A mensagem do Executivo diz respeito à atualização da Planta Genérica de Valores (PGV), que serve como base para o cálculo do Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) e que está há 12 anos sem sofrer alteração.

“Eu não defendo aumento de imposto nenhum. Quem que concorda em aumentar imposto? Ninguém concorda. Nem o prefeito também concorda. Mas isso será debatido porque tem algumas entidades que defende a reposição da planta genérica. Por isso faremos essa audiência para debater”, disse o vereador ao Repórter MT.

“Vamos chamar todas as entidades que defendem o aumento e as entidades que não defendem para debatermos”, acrescentou.  

Adevair esclareceu que os vereadores devem apresentar emendas para diminuir os valores do imposto, mas defendeu que essas alterações sejam acatadas e inseridas na mensagem pela Prefeitura, para que não haja inconstitucionalidade na pauta.

“Eu defendo um plano B e esse plano B tem que vir da Prefeitura, diminuindo valores em alguns lugares, se tem realmente esses valores altos, e nos lugares que não tiver aumento, aumenta-se um pouco”, pontuou. 

Comente esta notícia