Cuiabá, 11 de Agosto de 2022
logo

05 de Julho de 2022, 16h:45 - A | A

PODERES / CASO PACCOLA

Juca: Fato é isolado e não mancha a imagem da Câmara

O vereador Tenente Coronel Marcos Paccola matou o agente socioeducativo, Alexandre Miyagawa, 41 anos, durante uma confusão na noite de sexta-feira (01), em Cuiabá.

DAFFINY DELGADO
DO REPÓRTER MT



O presidente da Câmara Municipal, vereador Juca do Guaraná (MDB), afirmou nesta terça-feira (05), que a morte do agente socioeducativo Alexandre Miyagawa, 41 anos, cometida pelo vereador tenente coronel Marcos Paccola (Republicanos), foi um "caso isolado e não suja a imagem" da Casa de Leis.

Logo após a sessão, Juca foi questionado se o caso do Paccola não voltaria a manchar a imagem da Casa. "É um caso isolado. Quando você fala de um deputado, não pode falar Assembleia Legislativa. Quando você fala de um magistrado, não pode falar que é o Tribunal de Justiça. E, assim, quando você fala de um vereador, não se pode falar da Câmara. Temos atitudes de vereadores aqui que têm honrado o nome desta Casa, então, fale da pessoa e não da instituição”, destacou.

>>> Clique aqui e receba notícias de MT na palma da sua mão

>>> Receba notícias no Telegram e fique bem informado

A Câmara Municipal já passou por vários escândalos envolvendo vereadores e vinha trabalhando para reestabelecer sua imagem e deixar a alcunha de "Casa dos Horrores".

"Estamos trabalhando aqui com todos os vereadores para reestabelecer esse respeito, que voltamos a ganhar da população cuiabana", afirmou Juca.

Leia mais

Sindicalista: Pistola usada por agente morto na noite do crime foi vendida a ele por Paccola

Marcos Paccola matou o agente com três tiros na noite de sexta-feira (01), durante uma confusão na frente de uma distribuidora de bebidas no bairro Duque de Caxias, em Cuiabá.

Ainda conforme Juca do Guaraná, a Comissão de Ética está acompanhando o trabalho realizado pela Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), para desvendar se, de fato, o parlamentar agiu em legítima defesa ou não.

Enquanto o trabalho é realizado, o vereador permanece no cargo. Entretanto, a vereadora Edna Sampaio (PT) protocolou um pedido de afastamento e cassação do mandato de Paccola, que deverá ser analisado esta semana.

Comente esta notícia

Ricardo 06/07/2022

Como se essa Câmara tivesse uma sólida imagem a zelar... kkkkk

pedro paulo 06/07/2022

Não mancha para vc Juca do Guaraná que é irmão de um cidadão que tentou minar um monte de gente pra virar vereador! MAS NÃO TEM COMO MANCHAR O QUE JÁ É CHAMADO DE CASA DOS HORRORES

wander 05/07/2022

A demora na resposta para a população, soa como corporativismo. não trabalhamos pra vocês, é o contrario.

3 comentários

1 de 1