facebook-icon-color.png instagram-icon-color.png twitter-icon-color.png youtube-icon-color.png tiktok-icon-color.png
Cuiabá, 15 de Julho de 2024
15 de Julho de 2024

12 de Junho de 2024, 16h:13 - A | A

OPINIÃO / MAX LIMA

O que a paixão faz com seu coração

MAX LIMA



A paixão está no ar com a chegada do Dia dos Namorados. E mais que uma data romântica e comercial, estar apaixonado, amando também faz bem para a saúde.
Principalmente para o seu coração. Especialistas afirmam que estar apaixonado aumenta a imunidade, diminui o estresse e a ansiedade e pode até ajudar na cura de doenças. Tudo isso devido aos hormônios que circulam no organismo que provocam o aumento nos batimentos cardíacos.
Estar apaixonado pode ainda reduzir infartos e diminuir derrames, tamanha a sua influência nesse sistema.
Além desses benefícios físicos que têm efeitos imediatos, estar em uma relação estável pode ajudar a sua circulação de outras formas. Um relacionamento maduro estimula os parceiros a se cuidar melhor e a estar em dia com a saúde.
Segundo um estudo realizado pelo Hamad Medical Corporation – Heart Hospital, de Boston, nos EUA e divulgado na revista Clinical Investigation, homens e mulheres viúvos ou solteiros acima dos 60 anos possuem grave risco de passarem por algum problema cardíaco.

Quando a pessoa é casada ou tem um relacionamento estável leva homens e mulheres a adotarem hábitos mais saudáveis. Entre os homens solteiros a probabilidade de tabagismo é 16% maior.

Na prática, a ligação entre saúde do coração e relacionamento está relacionada com a solidão. Pessoas solitárias possuem maior tendência à depressão e a outros transtornos psicológicos que diminuem a modulação cardíaca podendo gerar morte súbita em indivíduos propensos, por causar arritmias malignas e infarto.
.
Ainda há outra pesquisa da Universidade Católica de Brasília, que reforça que o amor traz benefícios para o coração.

O trabalho mostrou que homens com mais de 60 anos e solteiros possuem risco de 61% a mais de morrerem do que os casados. Para as mulheres, as viúvas possuem probabilidade 82% maior de morrerem e as solteiras 35%, se comparadas com as casadas ou em relacionamento estável. De acordo com o levantamento, um dos fatores pode ser o de que pessoas em um relacionamento estável teriam uma saúde melhor. Já que o apoio do parceiro é fundamental para garantir bons hábitos de vida e reduzir as chances de sofrer problemas cardiovasculares.

Os benefícios são todos agregados com o relacionamento estável e a parte sexual dentro do relacionamento. Visto que a atividade sexual regular traz uma série de benefícios, como redução dos riscos de doenças cardíacas, alivia o estresse, melhora o sistema imunológico e ainda colabora no combate a infecções.

Só que o sexo, em relacionamento extraconjugal, não é boa para o coração porque pode favorecer eventos isquêmicos. Tem adrenalina, mas tem muito stress, o que é péssimo para o coração.

Max Lima é médico especialista em cardiologia e terapia intensiva, conselheiro do CFM, ex-presidente da Sociedade Brasileira de Cardiologia de Mato Grosso(SBCMT), Médico Cardiologista do Heart Team Ecardio no Hospital Amecor e na Clínica Vida Diagnóstico e Saúde. CRMT 6194
Email: [email protected]

>>> Siga a gente no Twitter e fique bem informado

Comente esta notícia