Cuiabá, 30 de Janeiro de 2023
logo

15 de Dezembro de 2014, 09h:02 - A | A

NACIONAL / SEQUESTRO NA AUSTRÁLIA

Família diz que goiana está entre reféns em cafeteria de Sydney

Personal trainer afirmou ser vítima em mensagem postada em rede social. A informação não foi confirmada pelo Itamaraty ou pelo Governo de Goiás.

G1 - GO



Familiares da personal trainer e gerente de projetos brasileira Marcia Mikhael afirmam que ela é uma das pessoas mantidas reféns no Lindt Chocolat Cafe, em Martin Place, em Sydney, desde as 21h (horário de Brasília) de domingo (14), 10h de segunda-feira (15) na Austrália. A mulher é natural de Goiânia e mora na Austrália há cerca de 20 anos, segundo a família. A informação não foi confirmada pelo Itamaraty.

A Secretaria de Assuntos Internacionais de Goiás afirma que entrou em contato com o consulado brasileiro na Austrália. “Eles não têm ainda nenhuma informação de quem está lá dentro. É uma tática da própria polícia australiana em não divulgar, então eles não sabem dizer se tem brasileiro lá”, afirma o gerente de Assuntos Consulários e Diplomáticos do Governo de Goiás, Adauto Drahuna Neto.

>>> Clique aqui e receba notícias de MT na palma da sua mão

A informação de que Marcia é uma das reféns chegou aos familiares por meio de duas mensagens postadas no perfil da personal no Facebook e foi confirmada por outros parentes que moram em Sydney.  Na mensagem, a mulher afirma que o texto foi escrito pelo homem que mantém os reféns.

Segundo informou ao G1 a coordenadora de curso Adibe George Khuri, prima de Marcia, a personal tem três filhos que estão na região do café aguardando informações sobre a situação. “Nosso medo é que de ela não saia com vida”, afirma.

Outra prima de Márcia, Vanessa Fonseca, um irmão da personal estão na região do café acompanhando a operação. “Nosso medo é porque ela está na mira deles, tanto que é ela que está colocando as mensagens no Facebook”, diz.

Reféns
Um homem armado mantém dezenas de reféns no café em Sydney desde as 21h (horário de Brasília) de domingo (14), 10h de segunda-feira (15) na Austrália. A polícia está em contato com o sequestrador, mas ainda não soube precisar o número de reféns, que pode chegar a 50, entre funcionários e clientes.

Cinco deixaram a cafeteria até o momento. As motivações do ataque ainda são desconhecidas. Segundo a ABC Austrália, a polícia já identificou o suspeito e afirmou que ele era conhecido das autoridades. Sua identidade não foi divulgada.

A vice-chefe de polícia local, Catherine Burn, informou que os cinco reféns libertados estão sendo avaliados por médicos para garantir que eles estão bem. Em seguida, eles serão ouvidos pela polícia.

Ela não confirmou quantas pessoas permanecem no café. Ao que parece, não há feridos, segundo a polícia.

Comente esta notícia