Cuiabá, 06 de Dezembro de 2022
logo

14 de Novembro de 2016, 12h:04 - A | A

JUDICIÁRIO / INVESTIGADA

Prefeita eleita de Juara, Luciane Bezerra teria emprestado R$ 700 mil a Silval

A ex-deputada e agora prefeita eleita de Juara, Luciane Bezerra foi citada pelo ex-chefe da Casa Civil Pedro Nadaf, que é réu confesso nos processos em que o grupo de Silval responde por corrupção.

CELLY SILVA
DA REDAÇÃO



Por conta das confissões que o ex-secretário chefe da Casa Civil Pedro Nadaf vem fazendo nas ações criminais a que responde por crimes de corrupção, supostamente cometidos durante a gestão do ex-governador Silval Barbosa (PMDB), outras investigações correm à parte da ação que tramita na Sétima Vara Criminal de Cuiabá. Uma delas envolve a ex-deputada estadual e prefeita eleita de Juara, Luciane Bezerra (PSB).

De acordo com as declarações prestadas pelo ex-secretário, ele teria repassado à Luciane Bezerra o valor de R$ 700 mil, no ano de 2014, por meio de cheques e dinheiro oriundos do recebimento de propinas. O montante seria referente a uma dívida que Silval Barbosa teria com ela.

Em um despacho (veja imagem ao final da matéria) da Delegacia Especializada em Crimes Fazendários e Contra a Administração Pública (Defaz), emitido no dia 27 de setembro deste ano, os delegados Márcio Moreno Vera e Alexandra Fachone resolvem fazer novas diligências para apurar, em novo inquérito policial, os supostos crimes apontados por Nadaf contra a ex-deputada.

De acordo com as declarações prestadas pelo ex-secretário, ele teria repassado à Luciane Bezerra o valor de R$ 700 mil, no ano de 2014, por meio de cheques e dinheiro oriundos do recebimento de propinas. O montante seria referente a uma dívida que Silval Barbosa teria com ela.

Além de dinheiro oriundo de propina, o ex-secretário afirmou que também utilizou dinheiro fruto do desvio da desapropriação do bairro Jardim Liberdade, que é alvo da Operação Sodoma 4. Pedro Nadaf disse ainda que Luciane Bezerra tinha plena ciência da origem ilícita dos valores recebidos.

No despacho, os delegados destacam que em um relatório técnico sigiloso, consta a localização de um cheque da empresa SF Assessoria e Organização de Eventos Eirelli ME depositado na conta corrente da empresa J. Lisboa da Hora EPP, no dia 15 de maio de 2014, bem como uma procuração emitida por essa empresa para Celso Ricardo Borba Azóia, irmão de Luciane Bezerra, outorgando poderes para ele representar a empresa pelo período de maio de 2013 a agosto de 2015.

O cheque localizado pela Polícia Civil e que Nadaf afirma ter entregue a Luciane Bezerra era oriundo de propina e a empresa SF Assessoria e Organização de Eventos Eirelli ME pertencia ao delator Filinto Muller, que confessou, no âmbito da Operação Sodoma 1, ter lavado dinheiro para a organização criminosa, denunciada pelo Ministério Público Estadual (MPE).

O tentou contato, por telefone, com a ex-deputada Luciane Bezerra, bem como com seu esposo, o deputado estadual Oscar Bezerra (PSB), mas as ligações caíram na caixa de mensagem. 

Outras acusações

Esta não é a primeira vez que a ex-deputada tem seu nome apontado por réus de processos criminais como recebedora de dinheiro ilícito. Em abril deste ano, o ex-deputado José Riva acusou Luciane Bezerra de ter recebido R$ 50 mil fruto de um desvio de R$ 9,4 milhões da Assembleia Legislativa de Mato Grosso, que é apurado na operação Ventríloquo, deflagrada em julho do ano passado pelo Grupo de Atuação Especial contra o Crime Organizado (Gaeco).

Na época, Luciane se manifestou afirmando que, durante seu mandato como deputada, nunca soube de qualquer acordo de desvio, tendo tido conhecimento do assunto quando o mesmo foi noticiado pela imprensa. A adversária política de Riva, ainda lembra que sempre atuou como oposição ao ex-deputado. Na época, Luciane ainda era pré-candidata a prefeita de Juara e ressaltou que esta foi a forma que Riva encontrou para tentar desestabilizar o pleito no município, uma vez que o outro então pré-candidato era o irmão de José Riva, Priminho Riva.

Reprodução

despacho
 

Reprodução

despacho 1

Leia também:

Riva chora, confessa esquema e diz que devolverá o que recebeu; Savi, Romoaldo e Luciane são implicados

Luciane nega envolvimento em esquema e reúdia declarações de Riva

 

Comente esta notícia

Naelt 14/11/2016

Esse é o Grupo do Governador Pedro Taques,seu amigo Oscar Bezerra e sua esposa, aliados da base do Governador. É que fase hein????

Lidiane 14/11/2016

Aí juarensses mais quatro anos na fila.

2 comentários

1 de 1