Cuiabá, 31 de Janeiro de 2023
logo

08 de Novembro de 2014, 09h:34 - A | A

JUDICIÁRIO / MERCADO FALIDO

Demitidos do Modelo podem pegar alvarás no TRT para sacar FGTS e seguro desemprego

A extensão foi determinada na última quinta-feira (6) pelo juiz Nicanor Fávero

DA REDAÇÃO



A Justiça do Trabalho em Mato Grosso estendeu a todos os ex-empregados da Rede de Supermercados Modelo o direito de solicitar os alvarás de liberação do FGTS e de habilitação ao seguro-desemprego. Decisão anterior estabelecia que apenas aqueles que não ajuizaram ações individuais (cerca de 400 trabalhadores) poderiam dar entrada no procedimento.

A extensão foi determinada na última quinta-feira (6) pelo juiz Nicanor Fávero, titular da 7ª Vara do Trabalho de Cuiabá, onde tramita a Ação Civil Pública movida pelo Ministério Público do Trabalho (MPT). Nela, consta o pedido de liberação dos documentos aos cerca de 1000 ex-empregados da rede de supermercados.

Em outubro, a Justiça do Trabalhado concedeu uma liminar no processo autorizando a confecção dos alvarás. Todavia, como já tramitavam nas varas da Capital cerca de 600 ações individuais de ex-empregados do Modelo, nos quais haviam também o pedido de emissão dos documentos, o alcance da decisão foi restringido àqueles que não recorreram à Justiça.

Com a nova decisão, todos, independentemente de já se terem solicitado ou não a emissão dos alvarás para liberação do FGTS e de habilitação no seguro-desemprego, podem comparecer à Coordenadoria de Apoio à Execução e Solução de Conflitos (CAESC) do TRT/MT para dar entrada no processo, entregando cópias da Carteira de Trabalho e documentos pessoais.

Entrega

A distribuição dos alvarás começou nessa quinta-feira (6), com a entrega de 80 documentos para um grupo de 40 trabalhadores (são dois alvarás por pessoa). A liberação segue a ordem de entrega dos documentos pessoais.

Desde segunda (3), quando começou o atendimento, 160 ex-empregados da rede Modelo já passaram pelo TRT para dar entrada na solicitação. Os trabalhos na Coordenadoria irão continuar enquanto houver demanda.

Comente esta notícia