Cuiabá, 20 de Agosto de 2022
logo

26 de Dezembro de 2017, 15h:17 - A | A

GERAL / PACIENTES ENCAMINHADOS

Triagem desocupa corredores do Pronto-Socorro de Cuiabá

Dos 170 pacientes que estavam nos corredores do PS, cerca de 90% deixaram o hospital após a triagem.

DA REDAÇÃO



A Secretaria de Saúde de Cuiabá afirma que o trabalho de triagem realizado no Pronto Socorro de Cuiabá possibilitou que 90% dos 170 pacientes que estavam nos corredores da unidade, desocupassem o local.

A medida atende a decreto publicado pelo prefeito Emanuel Pinheiro (PMDB).

>>> Clique aqui e receba notícias de MT na palma da sua mão

“O Comitê de Crise estudou a melhor maneira de realizar a contrarreferência dos pacientes que se encontravam nos corredores, à espera de cirurgias eletivas, observando cuidadosamente caso a caso, para que a triagem acontecesse de forma segura e mantendo a integridade física do paciente. Para isso contratamos sete médicos triagistas e duas assistentes sociais, que fizeram a classificação de risco de todos os pacientes do PS, juntamente com as enfermeiras da equipe. Com o trabalho de classificação de risco concluído, e a ajuda de dois profissionais da Central de Regulação, passamos a fazer as contrarreferências”, explicou a secretária adjunta de Saúde do Município, Dúbia Campos.

Segundo a diretora técnica de gestão do Pronto-Socorro, Zamara Ribeiro, nos últimos seis dias 25 pacientes clínicos (15% do total de pacientes que se encontravam hospitalizados no corredor) tiveram alta e voltaram para suas residências, onde continuarão tomando a medicação prescrita e darão continuidade aos seus tratamentos na unidade de saúde mais próxima de sua residência. Os pacientes ortopédicos com indicação de cirurgia foram desospitalizados já com os exames pré-operatórios realizados e as cirurgias agendadas, somando um total de 51 pacientes (mais 30% do total).

Outros 51 pacientes (30% do total) tiveram alta do Pronto-Socorro e não têm mais necessidade de voltar para o hospital. Muitas destas pessoas voltaram para seus municípios de origem. E 25 pacientes (15% do total) foram transferidos para outros hospitais, como o São Benedito e os filantrópicos, que dão apoio ao PS. Entre os pacientes que ainda permanecem hospitalizados, Zamara ressalta que são pacientes da cirurgia geral e vascular que ainda aguardam a realização de exames, como CPRE, colonoscopia e ressonância. “Não estamos preocupados somente em resolver a superlotação dos nossos corredores, estamos preocupados em resolver o problema de saúde do usuário que ali se encontra”, complementa.

A secretária municipal de Saúde, Elizeth Araújo comemora o resultado positivo.

 

“Estamos extremamente felizes, pois há muitos anos temos visto centenas de pessoas nos corredores do PS e essa situação parecia que nunca iria mudar. Felizmente o grande empenho da nossa equipe possibilitou a retirada de quase todas as pessoas que não estavam acomodadas de maneira adequada, esperando por cirurgias. É importante ressaltar que todas elas passaram pela classificação de risco e as que não são casos de urgência e emergência retornaram para suas unidades ou municípios de origem, mas já com o agendamento da cirurgia no Pronto-Socorro”, frisa.

Comente esta notícia

Adalberto Ferreira da Silva 27/12/2017

Resumindo: o caos no Hospital Pronto Socorro de Cuiabá era resultado da falta de gestão comprometida em dar respostas aos problemas existentes, o que demonstra o desinteresse do poder público pelo ser humano. Pautando a ação da Prefeitura de Cuiabá pelo pragmatismo e compromisso social, o caos predominante no HPSM de Cuiabá foi equacionado, pelo menos temporariamente. Cabe reconhecer a ação eficaz empreendida pela Prefeitura e desejar que o comprometimento demonstrado na ação saneadora do HPSM de Cuiabá doravante norteie a administração municipal.

1 comentários

1 de 1