Cuiabá, 27 de Novembro de 2022
logo

17 de Novembro de 2016, 09h:50 - A | A

GERAL / SONHO ANTIGO

Cinco empresas participam da abertura de licitação da 'zona franca' de Cáceres

A Zona de Processamento de Exportação de Cáceres terá uma área de 239,68 hectares e será dividida em cinco módulos, espaço que poderá abrigar cerca de 230 indústrias. O complexo contemplará principalmente empresas das áreas de agronegócio e alimentação.

DA REDAÇÃO



Cinco construtoras de Mato Grosso apresentaram propostas durante a abertura da licitação para construção da Zona de Processamento de Exportação (ZPE) de Cáceres (216 km de Cuiabá). O processo licitatório foi iniciado às 14h30 desta quarta-feira (16.11) pela Comissão Permanente de Licitação (CPL) da Secretaria de Estado das Cidades (Secid) e durou todo o período da tarde.

“Essa é uma das obras mais importantes do governo Pedro Taques. É uma obra estratégica e estruturante na economia de Mato Grosso", disse o novo secretário da Secid, Wilson Santos.

Ao final da sessão, a comissão inabilitou duas empresas por não entregarem todos os documentos exigidos no edital de licitação. Como exigido na lei de licitação, o presidente da CPL, Agmar Divino Lara de Siqueira, abriu prazo para que as inscritas possam recorrer da decisão.

>>> Clique aqui e receba notícias de MT na palma da sua mão

A zona aduaneira de Mato Grosso, que começa a se desenhar, é aguardada há mais de duas décadas. A primeira parte da obra ZPE têm valor previsto em torno de R$ 17 milhões. “Essa é uma das obras mais importantes do governo Pedro Taques. É uma obra estratégica e estruturante na economia de Mato Grosso. É a ZPE de Mato Grosso, que geograficamente estará sendo implantada em Cáceres. Desde o Pólo Noroeste dos anos 70, 80 que a região de Cáceres, especialmente o município de Cáceres, estão à deriva. Com a implantação da ZPE a região está resgatando um modelo de desenvolvimento”, avaliou o novo secretário das Cidades do Estado, Wilson Santos, que esteve na sala de licitação da Secid durante etapa de apresentação de propostas.

A instalação do processo licitatório foi acompanhada também pelo prefeito de Cáceres, Francis Maris Cruz, e o deputado estadual Leonardo Ribeiro Albuquerque, o Dr. Leonardo. Ambos expressaram as empresas participantes que aguarda

A Zona de Processamento de Exportação de Cáceres terá uma área de 239,68 hectares e será dividida em cinco módulos, espaço que poderá abrigar cerca de 230 indústrias. O complexo contemplará principalmente empresas das áreas de agronegócio e alimentação.

A licitação

Após a abertura oficial da sessão de licitação, as empresas apresentaram aos técnicos da Secid dois envelopes contendo a documentação exigida, prevista em edital. Um deles contendo papéis que comprovam que a construtora está habilitada a tocar a obra e outro com propostas de preço para execução do serviço.

A equipe da Comissão de Licitação da Secretaria verificou todos os documentos apresentados pelas cinco empresas interessadas em assumir as obras da Zona de Processamento de Exportação e duas delas foram consideradas inabilitadas a continuar na disputa.

Participaram da Concorrência Nº 004/2016 as empresas: Jer Engenharia Elétrica e Civil LTDA-EPP; Primus Incorporação e Construção LTDA; Equilíbrio Construções e Projetos LTDA; X Nova Fronteira Construções LTDA-EPP e Material Forte Incorporadora LTDA.

Segundo a ata de abertura da sessão pública de licitação da ZPE, a construtora Material Forte Incorporadora não apresentou contrato de prestação de serviço do responsável técnico pela empresa, um dos itens disposto no edital e por isso foi considerada inabilitada. Já a X Nova Fronteira Construções, ainda conforme a ata, disponibilizou à comissão Certidão de Falência e Recuperação vencida, sendo assim, também foi apontada como não habilitada de seguir no certame.

De acordo com o presidente da CPL, agora as empresas terão prazo para recorrer, depois a secretaria irá se posicionar quantos aos recursos e somente depois disso, será aberto o procedimento de avaliação das propostas de preço. A previsão é que esse trâmite dure cerca de um mês. A intenção a secretaria é encerrar todo a fase processual ainda este ano.

A ZPE

A Zona de Processamento de Exportação de Cáceres terá uma área de 239,68 hectares e será dividida em cinco módulos, espaço que poderá abrigar cerca de 230 indústrias. O complexo contemplará principalmente empresas das áreas de agronegócio e alimentação.

Entre as obras previstas na primeira fase dos trabalhos estão o prédio administrativo da ZPE, um restaurante, o bloco da Receita Federal, um pátio de manobra, além da guarita principal de pedestre, guarita principal de veículos, guarita secundária de veículos e um galpão. Também estão previstas a construção de uma rede de água, uma Estação de Tratamento de Esgoto (ETE), além de estação elétrica de média tensão, telecomunicações, drenagem e serviços de urbanização e paisagismo.

A escolha de Cáceres para a construção da zona aduaneira deve-se à sua localização estratégica, a qual possibilita o transporte dos produtos via oceano Pacífico, localizado a 1.700 km de distância do município.

As Zonas de Processamento de Exportação (ZPE’s) são distritos industriais que possibilitam a comercialização de mercadorias com isenção fiscal. As empresas instaladas nesses locais têm a sua produção voltada ao comércio exterior e têm, ainda, liberdade cambial e procedimentos administrativos simplificados.

Álbum de fotos

Comente esta notícia