Cuiabá, 26 de Setembro de 2022
logo

04 de Dezembro de 2013, 07h:55 - A | A

CIDADES / CUIABÁ

Taxistas vão cobrar bandeira 2 no período diurno para garantir \'Ceia de Natal\'

O documento solicitando a mudança foi encaminhado à SMTU e aguardam autorização do prefeito de Cuiabá

ALINE FRANCISCO
DA REDAÇÃO



Os taxistas de Cuiabá aguardam a autorização do prefeito Mauro Mendes (PSB) para começar a utilizar a bandeira 2, mesmo durante o dis, o que já é ‘tradicional’ no mês de dezembro há pelo menos 20 anos. De acordo com o Sindicato dos Taxistas (Sintax) a mudança na bandeira representa um aumento entre 10 e 12% na corrida.

Segundo o diretor-secretário do Sintax, Aelson Alves, a utilização da bandeira é uma forma do taxista garantir a ‘ceia de Natal’. “Nosso salário é variado, não temos uma renda fixa, e mudando o cálculo da cobrança conseguimos garantir pelo menos a ceia de Natal, é como um 13º salário”, diz. Segundo dados do Sindicato, o salário bruto de um taxista gira em torno de R$ 4 mil ao mês, o aumento na corrida representa um acréscimo de na média R$ 400,00.

O documento solicitando a mudança foi encaminhado à SMTU no dia 20 de novembro. “Encaminhamos para o secretário [Antenor Figueiredo], mas até o momento não obtivemos uma resposta. Fizemos a nossa parte, agora resta a autorização para iniciar a nova cobrança”, destacou Aelson. Segundo ele a permissão da utilização da bandeira 2 é dada há pelo menos 20 anos. “É só o prefeito consultar que ele vai ver que essa é uma prática antiga e não tem por que não autorizar”.

Através do documento que autoriza a mudança, o prefeito Mauro Mendes também deve estipular o período em que poderá ser utilizada a bandeira 2. “Não temos certeza se será autorizada, mas se for, a expectativa é que entre em funcionamento entre os dias 05 a 10 de dezembro”, comentou.

A cobrança diferenciada já é autorizada por Lei Municipal em horários específicos. “Trabalhamos com a bandeira 2 diariamente das 20h às 5h59 do dia seguinte e das 12h  de sábado até às 6h da segunda-feira, ou quando transitamos com mais de dois passageiros”, explica Aelson. Se aprovada, a cobrança a mais que chega a 12%, será feita durante todo o dia.

Aelson garante que o aumento no valor da corrida não é criticado pelos clientes. “De cada 100 pessoas que transportamos uma se mostra contra o aumento. Do restante as pessoas entendem que é uma forma de garantir nosso 13º, assim como todos os trabalhadores”.

Comente esta notícia