Cuiabá, 30 de Junho de 2022
logo

Domingo, 23 de Outubro de 2011, 16h:44 - A | A

MONITORAMENTO ELETRÔNICO

Novo sistema deve soltar milhares de presos em MT

Deverão ser beneficiados presos não reincidentes que cometeram crimes leves, puníveis com menos de quatro anos de reclusão

MAYARA MICHELS

O secretário de Estado de Justiça e Direitos Humanos, Paulo Lessa, pretende em 2012 readequar o número de reeducandos com o número de vagas disponíveis em Mato Grosso. Trata-se da nova lei de prisão preventiva, em vigor no país, que deve resultar na liberação de milhares de presos que ainda não foram julgados. Cinco mil tornozeleiras de monitoramento serão compradas e metade dos detentos, os considerados de bom comportamento, e também aqueles que já cumpriram parte da pena serão integrados ao regime semi-aberto. Mato Grosso abriga o dobro das vagas disponíveis.

“Muitos detentos já podem passar para o regime semi-aberto, mas como o estado não tem como proporcionar devido a falta de albergues suficientes, com esse sistema de monitoramento, diminuirá em 50% os custos. O reeducando será monitorado 24h, porém, será livre para se auto sustentar”, revelou Paulo Lessa.

O secretário já encaminhou o edital para a compra dos equipamentos junto com a licitação da empresa que deverá administrar. “Com esse sistema ativo, vamos conseguir um sistema produtivo.  A pena hoje só restringe a liberdade, no Brasil é restringida também a dignidade da pessoa. Precisamos fazer o reeducando se sentir humano com habilidades para trabalhar”, destacou.

O secretário disse que a presidente Dilma Rouseff  está investindo no sistema presidiário de todo o País, inclusive em Mato Grosso. Com os recursos destinados, duas cadeias públicas estão sendo construídas – Pontes e Lacerda e Juína. Com isso serão 600 novas vagas aberta no sistema penitenciário mato-grossense. Será feito também a ampliação dos presídios masculinos e o feminino da Capital.

O monitoramento eletrônico dos presos em MT está previsto para o início de 2012.

Comente esta notícia