Cuiabá, 27 de Novembro de 2022
logo

16 de Novembro de 2016, 10h:50 - A | A

POLÍTICA / FIM DA LINHA

Wilson descarta concluir obra do VLT no governo Pedro Taques

Na tribuna da Assembleia Legislativa, o deputado Wilson Santos, que se licencia para assumir a Secretaria de Cidades, avisou será impossível concluir a obra do VLT até 2018 e alegou que seu trabalho será destravar a obra.

FRANCISCO BORGES
DA REPORTAGEM



O deputado Wilson Santos (PSDB), que se afastou, nesta quarta-feira (16), de suas atividades parlamentares para assumir o cargo de secretário de Estado de Cidades, acacaba de revelar que o veículo leve sobre trilhos (VLT) de Cuiabá e Várzea Grande não ficará pronto até o final do mandato do governador Pedro Taques (PSDB). 

"Quero deixar bem claro, que não terei tempo suficiente para concluir o VLT. Não adianta aqui fazer compromisso que não será cumprido. A conclusão do VLT é para mais de dois anos", disse Wilson.

"Quero deixar bem claro, que não terei tempo suficiente para concluir o VLT. Não adianta aqui fazer compromisso que não será cumprido. A conclusão do VLT é para mais de dois anos", disse Wilson na tribuna da Assembleia Legislativa. O tucano justificou que somente a Secretaria Adjunta de Obras Públicas, vinculada à Secid, conduz 440 obras. "Começei ir na Secid para ver os números e o que mais me chamou a atenção foi de que essa nova pasta tem muitas atribuições. São 440 obras só na secretaria adjunta da Secid", disse.  

O que nós estaremos fazendo é destravar esa obra. É movimentá-la. Fazer com que a obra do VLT seja retomada. Agora até onde nós conseguiremos encaminhar o VLT eu não posso aqui precisar. Agora, posso sim precisar, que o tempo que estarei lá não será o suficente para concluir", pontuou o tucano, concluindo que irá tratar a obra com prioridade a pedido do governador Pedro Taques (PSDB).

Wilson disse que já nesta quinta-feira (17) estará em Brasília para reuniões com o secretário nacional de Mobilidade Urbana, José Roberto Generoso e o minsitro das Ciddaes, Bruno Araújo para tratar exclusivamente sobre o VLT.

O tucano assumiu nesta quarta-feira a Secid com a missão de destravar obras importantes como o VLT para contribuir com a viabilidade de um possível projeto do governador de reeleição no Executivo. Outra obra atribuída a Wilson e considerada de suma importância, para o suposto projeto, é a conclusão do Rodoanel.

O destravamento é importante para o governo, pois o ex-titular da pasta, Eduardo Chiletto, teria sido exonerado exatamente por não conseguir dar proseguimento à obra, motivo de várias trocas de farpas na administração pública e muita polêmica na Casa de Leis.

VLT

As obras do VLT é um dos problemas de maior destaque no governo de Pedro Taques. Judicializada desde 2015, quando o tucano assumiu a gestão estadual, o modal de transporte já apresentou diversas demandas que custaram tempo e dinheiro dos cofres públicos, como o conhecimento do real valor para a sua conclusão.

Enquanto o consórcio responsável por concluir o trem de superfície pediu R$ 1,135 bilhão um estudo parcial feito por uma empresa contratada pelo governo apontou que seriam necessários “apenas” R$ 602 milhões. O Governo de Mato Grosso já pagou R$ 1,066 bilhão para a execução dessa obra, de um total de R$ 1,477 bilhão licitado pela extinta Secopa.

Na ocasião, a consultoria disse, inclusive, que para dar continuidade às obras do VLT seria necessário que o consórcio construtor apresentasse o projeto executivo e de desapropriação.

CPI

Recentemente a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) das Obras da Copa apontou que foram desviados R$ 541 milhões de praticamente todas as obras durante a gestão do ex-governador Silval Barbosa (PMDB). Presidida pelo deputado estadual Oscar Bezerra (PSB)a CPI apresentou um relatório final pedindo a devolução de R$ 110 milhões na Arena Pantanal, mais de R$ 115 milhões em mobilidade urbana e aproximadamente R$ 316 milhões com o VLT.

O documento, composto de aproximadamente 3,4 mil páginas, com 123 anexos, é resultado de aproximadamente um ano de investigações dos membros da comissão. Nele é recomendado também que todas as obras não concluídas sejam retomadas. 

 

Comente esta notícia

Anderson 16/11/2016

Enjoou de mentir. Bem vindo ao mundo real pinguim.

Lidia Brondi 16/11/2016

Começou bem!!! kkkk

Valdecarlos José Santos 16/11/2016

Ok, agora fala uma novidade

Willian 16/11/2016

Fazer o que né. Metade do mandato só de enrolação. Agora querem tentar fazer algo, já que estão vendo que o PT (Pedro Taques), tá com a corda no pescoço para uma possível reeleição.

4 comentários

1 de 1