Cuiabá, 31 de Janeiro de 2023
logo

16 de Novembro de 2014, 15h:16 - A | A

POLÍTICA / LEGADO DE SILVAL

Taques vai pegar um 'caminhão' de obras inacabadas da Copa do Mundo

Mesmo com as várias promessas feitas em vários momentos com a imprensa de Mato Grosso, Silval vai deixar uma lista de obras da Copa do Mundo, entre outras.

ABDALLA ZAROUR
DA REDAÇÃO



O governador eleito Pedro Taques (PDT) além de queimar os neurônios para saber como vai por em prática o seu plano de governo com o rombo que vai encontrar nas contas do Paiaguás, vai começar a sua gestão tendo que terminar muitos serviços começados por Silval Barbosa (PMDB).

Mesmo com as várias promessas feitas em vários momentos com a imprensa de Mato Grosso, Silval vai deixar uma lista de obras da Copa do Mundo, entre outras. 

A conclusão do VLT é a mais emblemática que Taques vai assumir. A obra que estava prevista para a Copa do Mundo, em junho, não tem previsão de término.

Ao custo de R$ 1,477 bilhão, Silval já pediu empréstimo no valor de R$ 200 millhões para a obra. Para isso, será necessária a autorização da Assembleia. Vários deputados criticaram o pedido, mas o chefe da Casa Civil, Pedro Nadaf (PR), argumentou que o empréstimo está dentro daquilo que foi contratado com o Consórcio. Até então, não se sabe qual a medição da obra e quanto já foi pago pelo Governo. Será preciso uma auditoria para descobrir essa situação, assunto que já foi prometido por Taques em campanha.

Secom

silval vlt

VLT era para ter sido concluído para a Copa do Mundo de 2014, em junho. Silval fez várias promessas, nenhuma vingou

A encosta do morro do Despraiado, pelo andar da carruagem, também deve ficar para Taques fiscalizar o serviço que vem sendo feito lá. Parte do morro desabou no dia 12 de novembro do ano passado, quase uma semana antes da inaguração do Elevado. Após muitas críticas e demora para resolver a situação, em julho deste ano, a Secopa lançou edital para contratar a empresa que faria a intervenção. Ao custo de mais de R$ 2 milhões, o trabalho vem sendo feito de forma morosa. Um problema, já que se aproxima o período chuvoso no estado. A obra tem previsão de ficar pronta em 60 dias, coisa que dificilmente deve acontecer.

RepórterMT

despraiado

Encosta ao lado do viaduto do Despraiado levou mais de um ano para sofrer intervenção. A obra de reestruturação segue em passos lentos e deve chegar no mandato de Taques

Os Centros Oficiais de Treinamento (COTS) que também eram para a Copa do Mundo não foram concluídos.

Funcionários das empreiteiras que tocam a obra entraram em greve várias vezes. O Consórcio também reclamou do atraso de repasse do governo para as empreiteiras. É outra situação que vai cair no colo de Taques.

Os dois Cots, UFMT E PARI, praticamente, não tiveram nenhuma utilidade, já que apenas uma das oito seleções que passaram por aqui usou um dos campos de treinamento. Como se diz por aí: dinheiro jogado no ralo.

O aeroporto Marechal Rondon, em Várzea Grande, que é de responsabilidade da União, têm suas obras conduzidas pelo estado. Era também para ficar pronto para a Copa, depois passou para outubro.

Outra obra que Taques vai ter de acompanhar. A obra já consumiu perto de R$ 100 milhões. Um dos problemas agravantes no Marechal Rondon é quando chove.

Em vários pontos do embarque/desembarque apresenta goteiras. Funcionários são obrigados a colocar baldes, numa cena deprimente de aeroporto de Copa do Mundo. O aeroporto já foi considerado o pior do país. 

Divulgação

aeroporto marechal rondon dois e dois.jpg

Previsto para ser usado antes da Copa, a Secopa prometeu a sua conclusão para outubro, o que não aconteceu. Segue firme para Taques ter de concluir

Elevado da Sefaz. Esta obra é daquelas que é dor de cabeça na certa. Começou com problema, apareceu problema depois de entregue e agora, novamente, passa pelo problema do Consórcio VLT ter usado menos material em sua estrutura.

Sob o risco de cair, o Tribunal de Contas determinou uma auditoria em todas as obras. O viaduto ainda está interditado.

Quem passa pelo local, vê pouca gente trabalhando na sua reestruturação. O famoso empurrando com a barriga. É mais uma obra para Pedro Taques assumir.

RepórterMT

viaduto sefaz interditado

Uma obra que virou chacota nas redes sociais, o elevado da Sefaz é a que mais deve dar dor de cabeça para Taques, já que dificilmente a sua reestruturação ficará pronta neste governo

A trincheira do Santa Rosa. Outra obra que apresentou sérios problemas e que ainda não foi concluída. Outra obra de mobilidade urbana para o próximo governador resolver. A trincheira do Verdão que também está inacabada e não há prazo para entrega. Situação também que deve assolar ainda mais o início de gestão de Taques.

RepórterMT

Trincheira do Santa Rosa

Quase concluída, a trincheira do Santa Rosa passou por problemas ambientais. Ela também deveria ter sido entregue para a Copa

No próximo domingo, dia 23, a Arena Pantanal receberá o último jogo de 2014. Santos e São Paulo farão partida válida pelo Campeonato Brasileiro. A Arena foi palco de quatro jogos da Copa do Mundo em junho, mas antes passou por vários testes em jogos da Copa do Brasil, Brasileiro e Mato-grossense. Após a Copa, o Novo Verdão também foi usado por jogos do Brasileiro. Porém, todavia, a Arena ainda apresenta problemas e passará por processo licitatório que só deve terminar na gestão de Taques.

Reprodução

ARENA PANTANAL

Arena Pantanal, principal obra da Copa, passou por polêmicas como atraso na entrega e problemas com a instalação de cadeiras. O Novo Estádio passa agora por processo licitatório, mas que só deve ser concluído na gestão de Taques

A licitação para o término do novo Hospital Universitário, na estrada de Santo Antônio, é uma obra situação que ficará para Taques dar andamento. Lembrando que o Hospital foi até tema de propaganda eleitoral feito pelo petista Lúdio Cabral (PT), onde ele chegou a citar que o atual faz, enquanto outros só prometem.

Quer mais? O MT Integrado, projeto de asfaltamento para interligar municípios do interior, também é outro problema que Taques vai ter de gerir, já que mesmo não foi concluído.

Sem contar a mudança administrativa que vai ter que fazer com a saída das OSSs. 

Taques também vai ter que descobrir se o governo do estado vendeu um terreno de mais de 70 metros quadrados de forma ilegal para um agiota. O terreno que chega a custar em torno de R$ 30 milhões foi vendido por pouco mais de R$ 1 milhão.

Silval mandou fazer uma auditoria, mas até o momento, não se tem notícias do seu resultado. Ou seja, vai ficar também para Taques mais esse ‘abacaxi’.

Comente esta notícia

Jandira Maria Pedrollo 16/11/2014

Além do caminhão de obras inacabadas vai pegar também 40 vagões do VLT estacionados no pátio de manobras para cuidar.

1 comentários

1 de 1