Cuiabá, 31 de Janeiro de 2023
logo

06 de Novembro de 2014, 17h:04 - A | A

POLÍTICA / É FRIBOI

Nadaf diz que juiz o tachou de 'ladrão' e 'corrupto' ao aprovar benefícios a frigorífico

Nadaf lamentou o fato e criticou o juiz, que segundo, ele nunca deu uma contribuição direta a sociedade de Mato Grosso, enquanto ele tem 34 anos de carteira assinada. Ele criticou ainda o fato de não ter sido notificado e ter tido conhecimento da ação po

DA REDAÇÃO



Após o governador Silval Barbosa (PMDB) chamar o juiz Luis Bertolucci de sacana (leia aqui), desta vez, o secretário-chefe da Casa Civil de Mato Grosso, Pedro Nadaf (PR), disse que foi tachado de “ladrão” e “corrupto” sem ter tido qualquer direito de resposta sobre o caso da JBS Friboi, em que ele teve os bens bloqueados pela Justiça. 

Bertolucci, da Vara Especializada de Ação Civil Pública e Ação Popular de Cuiabá, acatou um pedido do Ministério Público Estadual (MPE) em que acusa Nadaf, o governador Silval Barbosa (PMDB) e outros secretários de improbidade administrativa na concessão de benefício fiscal ilegal de mais de R$ 73,5 milhões à empresa JBS Friboi. Todos os envolvidos tiveram os bens bloqueados nesse valor, sendo a soma geral 441.380.926,62 milhões. 

Em entrevista a Rádio Mix, nesta quinta-feira (6), Nadaf lamentou o fato e criticou o juiz, que segundo, ele nunca deu uma contribuição direta a sociedade de Mato Grosso, enquanto ele tem 34 anos de carteira assinada. Ele criticou ainda o fato de não ter sido notificado e ter tido conhecimento da ação por meio da imprensa e do boqueio de seus bens pela gerente de sua conta bancária.

Divulgação

Nadaf e Silval

Nadaf e Silval tiveram os bens bloqueados pelo Poder Judiciário de Mato Grosso. Os dois recorreram da decisão

“Fomos julgados diretamente pela sociedade de uma forma em que fomos tachados de ladrões e corruptos. Lamento, porque tenho 34 anos de carteira assinada e uma pessoa simplesmente atrás de uma mesa, que não sabe a realidade de muitos municípios, que nunca fez alguma coisa para a sociedade diretamente te achaca com poder da caneta, me senti lesado nos direitos que tenho como cidadão”, afirmou.

Fomos julgados diretamente pela sociedade de uma forma em que fomos tachados de ladrões e corruptos

Nadaf - que teve R$ 400 mil bloqueados e mais outros bens – explicou que parte dos recursos é de previdência privada que paga para seus filhos desde que são menores. Quanto aos bens, ele destacou que possui patrimônio de cem anos que recebeu de herança e que foi bloqueado. 

“Se amanhã ou depois desbloqueia vou responsabilizar o juiz pela integridade física dos meus filhos, já que foi exposto que eu tinha R$ 400 mil na conta. Se acontece um sequestro e pedem que paguemos o valor para devolver meu filho. Isso é uma irresponsabilidade, uma imoralidade com o cidadão e não se pode mexer assim com a vida das pessoas”, destacou.

Incentivos comprometidos

O secretário explicou que se a tese do MPE prosperar irá comprometer todos os incentivos dados no Estado de Mato Grosso, que segundo ele, são idênticos e somente se diferenciam na sua forma.

Nadaf esclareceu ainda que a JBS tem incentivos desde o ano de 2006, antes mesmo de assumir a secretaria de Indústria e Comércio e que em 2011 houve uma crise no setor de frigoríficos em vários municípios do Estado que resultou na queda do emprego e da geração de renda.

Ele destacou que outras empresas como Sadia situada em Lucas do Rio Verde e Várzea Grande recebem incentivos e pagam zero de ICMS, enquanto a JBS paga 1,5%. O secretário ingressou com um novo recurso e aguarda decisão. Com Mato Grosso Notícias

Comente esta notícia

João 07/11/2014

Há expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas. Queira, por gentileza, refazer o seu comentário

ANAO JURUBEBA 07/11/2014

34 ANOS DE CARTEIRA ASSINADA ...KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK KKKKKKKKKKKKKKKKKKK... esta na FECOMERCIO por osmose do seu pai.

JURIDICO 07/11/2014

PARABENS AOS DRS. BERTOLUCCI e ARIMATEIA... MOSTREM QUE O JUDUCIARIO DE MT NAO SE CURVA PARA ESTE FASCINORA, MAQUIAVELICO E LADRAO DO DINHEIRO PUBLICO.

Laurinha 06/11/2014

Foi a maior farra do boi com o dinheiro público. De fazer inveja a qualquer parintin da vida.. cadeia é pouco pra essa gente

MÁRIO LACERDA 06/11/2014

A CHURRASCADA NA CADEIA VAI SER BOA PRA ESSA TURMA DO SILVAL BOM DE PROSA.. ESPERA PRA VER

ZÉ POVO 06/11/2014

Essa dupla ja devia estar na cadeia ha mto tempo....estupradores do erário de MT

loraine 06/11/2014

ESTE CIDADAO QUADRUPEDE ACHA QUE A JUSTIÇA DE MT E A SUA CASA... DR. BERTOLUCCI APLICA NESTE MOÇO E SEUS COMPARSAS O PESO DA LEI , AFINAL CHAMOU VSA EXCIA DE IRRESPONSAVEL, NAO ACREDITO QUE OS JUIZES DE MT FICARAO CALADOS E O TJ TAMBEM.... INVESTIGUEM O CRESCIMENTO VERTIGINOSO DO PATRIMONIO DELE E A LAVAGEM DE DINHEIRO NO GOVERNO E NA FECOMERCIOE TAMBEM NO SESC/SENAT... MUITOS MILHOES NO RALO DA CORRUPÇAO CAPITANEADOS POR ESTE MOÇO;

José Arimatéa 06/11/2014

Pelo que nós sabemos a decisão judicial, esteja em tese certa ou errada, é passível de recursos, e, diga-se de passagem, nossa Legislação Processual é campeã mundial em quantidade e variedade de recursos processuais, mas dentre tais recursos não se encontram o jus sperniandi via mídia consistente em ataques pessoais ao Juiz que deu a decisão. Me lembro de um incidente ocorrido comigo na Comarca de Pimenta Bueno (RO), há muitos anos atrás, quando exercia a judicatura eleitoral e por ironia do destino foi obrigado a dar voz de prisão a um Senador da República por flagrante de crime eleitoral. Na ocasião lembro que o Senador me indagou, educadamente, diga-se de passagem, se eu o estava prendendo, e eu lhe respondi prontamente que quem o prendia naquele momento não era eu e sim Lei que ele mesmo ajudara a outorgar à Sociedade. Pois bem. O Juiz não age em seu próprio nome, é na Lei e na Constituição que se fundam suas decisões. Sugiro que o Ilustre Secretário ao invés de tentar desqualificar o Magistrado busque seus direitos pelas vias processuais que lhes são disponibilizadas pela Lei, pois assim agindo tenha ou não razão poderá sofrer ações em decorrência de eventuais agressões morais e estará disseminando a desqualificação social dos Agentes Públicos em geral, dentre os quais se inclui o próprio. Lamentável, muito lamentável, pois quem ataca o mensageiro e não a mensagem em nada estará contribuindo para o esclarecimento da verdade. Por fim, devo dizer que é chegado o tempo em que a Magistratura revidará com vigor e até com contundência, se necessário for, esses ataques sistemáticos, midiáticos e gratuitos às pessoas dos Magistrados.

8 comentários

1 de 1