facebook-icon-color.png instagram-icon-color.png twitter-icon-color.png youtube-icon-color.png tiktok-icon-color.png
Cuiabá, 27 de Maio de 2024
27 de Maio de 2024

14 de Novembro de 2010, 15h:23 - A | A

POLÍTICA /

MT recebe R$359 mi para obras do PAC; Cuiabá terá R$ 147 mi

gazeta



MARCOS LEMOS

O governador Silval Barbosa (PMDB) foi informado oficialmente pelo Ministério das Cidades sobre a aprovação e publicação do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC 2) para municípios integrantes do Grupo 1 e que representa 1.260 obras e projetos somando R$ 17,270 bilhões em todo o Brasil. Em Mato Grosso serão 19 obras e projetos que reúnem R$ 359,490 milhões e vão para Cuiabá, Várzea Grande, Rondonópolis, Sinop, Cáceres e Tangará da Serra em setores como saneamento básico (esgotamento sanitário); abastecimento de água, pavimentação asfáltica; canalização de córregos e habitações.

"Estamos prontos para auxiliar no pagamento das contrapartida para os municípios que não puderem pagar, e se mesmo assim houver dificuldades o Estado está pronto e apto a assumir a execução das obras desde que os municípios concordem com isto", disse o governador Silval Barbosa, lembrando que todo esforço é valido para se evitar o que aconteceu com o PAC 1 que ainda tem problemas. Ele se refere a real possibilidade de se perder os recursos anteriormente destinados.

Do total de verbas distribuídas ao Brasil, R$ 11,800 bilhões são de repasses da União e R$ 5,460 bilhões são provenientes de financiamentos com recursos do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) e do Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT), que somam os R$ 17,270 bilhões.

O secretário-executivo do Ministério das Cidades, Rodrigo Figueiredo explicou que essa é a primeira seleção de empreendimentos de infraestrutura do PAC 2, o que corresponde a metade dos recursos disponíveis e Mato Grosso ficou de fora desta primeira etapa diante da dificuldade e da falta de capacidade de endividamento dos municípios para contraírem os empréstimos, exigindo do governador Silval Barbosa que o Tesouro Estadual ficasse na retaguarda para se evitar que os municípios perdessem os recursos e projetos financiados.

"Sem a contrapartida o PAC 2 não será liberado, então o governador Silval Barbosa e o então governador Blairo Maggi fizeram a opção correta em servir de garantidor dos investimentos", informou Figueiredo apontado ainda que foi atendido o pleito do governo para melhorar os valores de Cuiabá, resultando no repasse de outros R$ 160 milhões.

Além desses valores, estão selecionados recursos para produção de quase 90 mil unidades habitacionais a serem contratadas através do programa Minha Casa Minha Vida, em complemento a essas obras.



Comente esta notícia