Cuiabá, 29 de Novembro de 2022
logo

09 de Novembro de 2016, 08h:14 - A | A

POLÍTICA / SAÚDE PÚBLICA

Mendes critica falta de repasses e diz que setor parou em Cuiabá

Segundo o prefeito o montante é de cerca de R$ 7 milhões. Mauro Mendes disse que está tratando para que as unidades filantrópicas, que paralisaram os atendimentos na capital, voltem a funcionar.

FRANCISCO BORGES
DA REDAÇÃO



Durante um evento de entrega de 585 títulos de regularização fundiária para bairros da região do CPA, em Cuiabá, ocorrido na noite desta terça-feira (8), o prefeito da capital, Mauro Mendes (PSB), disse que considera preocupante a falta de repasses para o setor de saúde por conta da crise financeira que afeta o Estado. O débito já chega a cerca de R$ 7 milhões, somente em Cuiabá.

“É preocupante [a entrega das ambulâncias] porque o prefeito que ver que a pessoa pode morrer no município vai colocar o paciente dentro da ambulância e trazer para Cuiabá. Eles não estão errados, mas nossos hospitais não estão lotados e sim superlotados", declarou o prefeito.

De acordo com o socialista, várias unidades paralisaram as atividades nesta terça-feira por falta de verbas. No início da semana cinco hospitais filantrópicos ameaçaram parar de receber pacientes no sistema de Unidade de Terapia Intensiva

"Nossos hospitais não estão lotados e sim superlotados. Não estamos mais conseguindo cuidar”, disse o prefeito.

Além disso, o socialista afirmou que a entrega das 141 ambulâncias feitas pelo governo do Estado, por meio de devolução de repasses da Assembleia Legislativa, pode fazer com que as unidades de saúde de Cuiabá fiquem superlotadas, fato que pode agravar ainda mais sistema de saúde oferecido pelo poder público.

Mendes considerou a atitude da aquisição das unidades móveis de transporte de pacientes útil e plausível, mas frisou que se não regularizarem o repasse para o setor em todo o estado a Saúde pode entrar em colapso na capital.

O socialista argumenta que os prefeitos dos municípios do interior de Mato Grosso não irão hesitar em transportar pacientes para Cuiabá, diante de casos que a saúde pública das cidades não conseguir resolver.

 “É preocupante [a entrega das ambulâncias] porque o prefeito que ver que a pessoa pode morrer no município vai colocar o paciente dentro da ambulância e trazer para Cuiabá. Eles não estão errados, mas nossos hospitais não estão lotados e sim superlotados. Não estamos mais conseguindo cuidar”, disse o prefeito durante solenidade de entrega de 585titulos de regularização fundiária, em Cuiabá. 

O OUTRO LADO

Na manhã desta quarta-feira (9), o secretário da Casa Civil, Paulo Taques, declarou, em evento realizado no Tribunal de Contas do Estado, que, nos próximos dias, o governador Pedro taques (PSDB) vai colocar em dia os valores atrasados para a saúde de Cuiabá e demais municípios. O governo do Estado conta com os R$ 109 milhões que deve receber da União referente aos valores da repatriação (arrecadação feita a partir do imposto de renda no programa de regularização dos ativos no exterior).

Deste montante R$ 70 milhões devem ser usados pelo Estado para quitar os débitos com as Prefeituras, Hospitais Filantrópicos e Hospitais Regionais.

A regularização deve ser feita em três parcelas, até o dia 30 de novembro.

 

Comente esta notícia

Sebastião 09/11/2016

É fácil governar só com dinheiro do estado é dinheiro pro São Benedito, novo pronto socorro e velho pronto socorro, asfalto, recapeamento, etcetcetc. Etc

Contribuinte 09/11/2016

Enquanto isso 70 milhões para publicidade no Estado da transformação!

GAUCHO 09/11/2016

Na verdade não e de hoje essa pendenga de empurra empurra e o povo que passa por dificuldades. 2018 aparecem os novos ou os mesmos salvadores da patria,prometendo a solucionar todos os problemas da populaçao. Bem que poderiam calçar a sandalha da humildade e reconhecer o mau desempenho politico de cada um com sua parte.

3 comentários

1 de 1