Cuiabá, 05 de Outubro de 2022
logo

22 de Dezembro de 2013, 17h:30 - A | A

POLÍTICA / CONEXÃO PODER

João Emanuel é o entrevistado deste domingo e insiste na tese de que vídeo contra ele foi \'trucagem\'

Conexão Poder vai ao ar logo após o programa Sílvio Santos, no SBT

ABDALLA ZAROUR
DA REDAÇÃO



O ex-presidente da Câmara de Vereadores de Cuiabá, João Emanuel (PSD), é o entrevistado deste domingo (22) do programa ‘Conexão Poder’, apresentado pelos jornalistas André Michells e Ramon Monteagudo. O jornalista Jonas Silva, do Hipernotícias também participa como jornalista convidado.

O vereador que foi o mais votado nas eleições do ano passado, com mais de 5 mil votos, se tornou presidente da Câmara de Cuiabá com a ajuda e influência do seu sogro, o deputado estadual José Riva (PSD).

Com uma gestão bastante turbulenta, João Emanuel entrou em rota de colisão com o prefeito Mauro Mendes (PSB) ao brigar por um orçamento maior para a Câmara.

Os capítulos dessa briga se sucederam, quando houve a proposta de criação da CPI dos Maquinários. A comissão, que foi proposta pelo vereador Toninho de Souza (PSD), tinha a intenção de investigar o contrato feito entre a prefeitura de Cuiabá e a Trimec.

Mas o Tribunal de Contas e o Ministério Público Estadual não viram irregularidades e a CPI não prosperou, mas ficaram as farpas.

Depois, a base de Mendes, para revidar, propôs três CPIs contra João Emanuel. E mais uma vez o clima ficou pesado.

Em setembro, o Ministério Público, por meio do Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaeco), denunciou mais 10 pessoas envolvidas em atos de corrupção para compra de decisão judicial para a soltura de traficantes de uma família envolvida com o tráfico de drogas. O grupo inclui o atual presidente da Câmara Municipal de Cuiabá, João Emanuel Moreira Lima.

João Emanuel voltou a ser alvo do Ministério Público, agora, na Operação Aprendiz. Ele foi acusado de peculato, fraude em licitações, falsidade documental e crimes contra a administração. João Emanuel também foi afastado da presidência em duas decisões do Tribunal de Justiça de Mato Grosso. Para não ser cassado, o vereador preferiu renunciar ao cargo.

A entrevista deste domingo vai ao ar logo após o Sílvio Santos, no SBT.

Abaixo, João Emanuel, em coletiva de imprensa, explica porque teve de renunciar. Ele diz que pessoas do Executivo estariam por trás da sua queda. Ele cita o vídeo em que ele aparece conversando com a dona de uma gráfica e diz como poderia fraudar uma licitação. A entrevista foi dada no dia 3 de dezembro.


Comente esta notícia

MILTON CAMPOS 24/12/2013

O que mais impressiona e que o vereador João Emanuel foi com muita sede ao pote, achando que superaria o mestre. com tão pouco tempos de aula, virou mais um com seu nome no mural vergonhoso da corrupção, porem o corrupto não mais se envergonha com estes escândalos tem políticos que esta respondendo a mais de cem processos e não esta nem ai para quem fala, ele e estreante não vai se intimidar com o primeiro processo.

O Aprendiz!!! 23/12/2013

Cara de Pau!!! Esse é o unico adjetivo que pode ser usado para este aprendiz de politico. Meu Deus, falar em Trucagem!!!!! A gravação é clara!!! Assisti o programa Conexão ontem e gostaria de parabenizar os apresentadores pelas perguntas e a forma como conduziram a entrevista. Parabens!!!

2 comentários

1 de 1