Cuiabá, 26 de Setembro de 2022
logo

16 de Dezembro de 2013, 20h:38 - A | A

POLÍTICA / CASA DOS HORRORES

Clima esquenta entre Onofre e Júlio na briga judicial pela presidência

Irônico, Onofre \"agradece\" o conselho de Pinheiro para renunciar ao cargo

MARCIA MATOS
DA REDAÇÃO



Em sua primeira “aparição’, desde a eleição de Júlio Pinheiro (PTB) para presidente da Câmara Municipal de Cuiabá, o vice-presidente, vereador Onofre Jr (PSB), ironizou ao agradecer a ‘sugestão’ de Pinheiro para que ele renunciasse ao cargo da Mesa Diretora da Casa. “Eu agradeço o conselho do vereador Júlio Pinheiro. Eu agradeço o conselho de ‘amigo’ que ele me deu, mas eu não vou aceitar tal conselho”, declarou .

Na sessão ordinária da última quinta (12), Pinheiro sugeriu que Onofre renunciasse ou ele mesmo iria pedir sua destituição.

Na guerra instalada na Câmara pela presidência da Casa, Onofre entrou com uma ação para cancelar a eleição de Júlio Pinheiro, que ocorreu na sessão do dia 5 de dezembro. O vereador usa um parecer jurídico que baseado no artigo do Regimento Interno, conclui que a vaga deveria ser preenchida por sucessão, dessa forma ele ficaria de forma permanente na presidência.

Para Onofre, a Ação é uma forma de fazer Justiça. “Não é o vereador Onofre que está exigindo a presidência. Nós estamos buscando o nosso papel, que é fazer valer as leis. Leis essas aprovadas por essa Casa. Porque somos eleitos para elaborar as leis, e também vigiar se elas estão sendo cumpridas e não desrespeitá-las”, defendeu.

Rebatendo, Pinheiro pediu outro parecer baseado no artigo 28 do Regimento, que diz que a eleição não pode ser anulada e que Onofre deveria ter manifestado sua vontade de concorrer ao cargo antes da votação, e ainda que o fato dele ter participado da votação conclui que ele estaria de acordo com o processo.

Questionado sobre porque teria omitido a intenção de continuar na presidência de forma permanente, o vice-presidente alega que não tinha conhecimento sobre o Regimento Interno e teria sido persuadido pelos outros vereadores a acreditar que o correto seria a votação para o cargo de presidente.

Na última sexta (13), em entrevista ao RepórterMT ele chegou a afirmar “Estão querendo tomar a Câmara de assalto’, frisou.

Em coletiva nesta segunda (16), ele fez questão de ressaltar que seu voto na eleição para presidente, foi de abstenção, portando não teria concordado com a eleição. “Abstenção não é voto. E no meu voto eu declarei que estava me abstendo porque não concordava com aquele processo”, alegou.

A decisão judicial que dirá se Onofre realmente tem direito à cadeira da presidência pode sair a qualquer momento.

Nos bastidores, os vereadores confirmam o que Júlio Pinheiro já havia declarado, a maioria apoia o atual presidente. O vice-presidente, declarou que mesmo assim vai continuar insistindo. “ Nem que esteja sozinho, estou do lado da verdade”, revidou.

TV REPÓRTER

Comente esta notícia

FRANCINALDO 17/12/2013

VÃO TOMAR VERGONHA NA CARA E TRABALHAR, PARA MERECEREM O SALARIO QUE RECEBEM OU FORAM ELEITOS PARA FICAREM NESSA MUVUCA???????????????????????????????????????

Luis Vasconcelos 17/12/2013

O VEREADOR ONOFRE TEM TODA A RAZÃO EM BUSCAR A JUSTIÇA ,É SEU DIREITO .O QUE FICA CLARO SÃO AS INTENÇÕES DO VEREADOR JULIO NO SEU PRIMEIRO ATO JÁ LEGALZOU O AUMENTO DO IPTU. O QUE MAIS VIRA POR AÍ .JÁ IMAGINOU SE POR ACASO O MAURO PRECISAR DEIXAR ACADEIRA DE PREFEITO? O JULIO SERA CAPAZ DE VENDER CUIABA!!!!

2 comentários

1 de 1