facebook-icon-color.png instagram-icon-color.png twitter-icon-color.png youtube-icon-color.png tiktok-icon-color.png
Cuiabá, 13 de Julho de 2024
13 de Julho de 2024

13 de Junho de 2024, 14h:06 - A | A

POLÍCIA / COMETEU SUICÍDIO

Professor acusado de abusar sexualmente de aluno de 6 anos é encontrado morto

Testemunhas contaram que, ao passar na frente da residência do professor, notaram que a residência estava aberta.

THIAGO STOFEL
REPÓRTERMT



O professor de uma escola estadual identificado pelas iniciais J.S.S., de 38 anos, foi encontrado morto dentro da quitinete onde morava, na manhã desta quinta-feira (13), em Sorriso (397 km de Cuiabá). A Politec informou que a vítima cometeu suícidio. 

Segundo informações apuradas pelo RepórterMT, a PM foi acionada por uma equipe do Corpo de Bombeiros, informando sobre a morte de um homem no Bairro Flor do Cerrado.

>>> Clique aqui e receba notícias de MT na palma da sua mão

LEIA MAIS - Professor é preso por estuprar aluno de 6 anos em sala de aula

No local, testemunhas contaram que, ao passar na frente da residência do professor, notaram que a residência estava aberta. Eles chamaram pelo homem, mas ele não respondia e então decidiram entrar na casa e o encontraram caído na sala.

A equipe do Corpo de Bombeiros constatou o óbito.

Relembre o caso

O professor foi preso no dia 04 deste mês, acusado de ter abusado sexualmente de um estudante de 6 anos. O suspeito foi solto em audiência de custódia no dia 06 de junho, mas foi proibido de se aproximar da vítima e frequentar qualquer escola.

A prisão do professor aconteceu após a mãe do aluno estranhar os presentes que seu filho recebeu do professor e resolveu procurar a escola. O suspeito foi notificado pela diretoria para parar com a atidude. 

Porém, dias depois, um aluno que assistiu uma palestra sobre exploração sexual infanto-juvenil na escola, no dia 03 de junho, e relatou à diretora que o professor possuía algumas brincadeiras semelhantes as que foram apresentadas na palestra, como colocar a mão por dentro da camiseta e fazer cócegas nas crianças.

Após a denúncia, a polícia, com auxílio de câmeras de segurança das salas de aulas, confirmou a veracidade das denúncias. Em um dos casos, o professor chegou a deitar com um aluno nos fundos da sala de aula e ficou com ele por cerca de 10 minutos. O ato chegou a ser visto por uma funcionária que entrou na sala de aula na hora e pediu para que ele se retirasse.

Enquanto estava na sala dos professores pegando suas coisas, ela notou que ele estava com ereção no órgão sexual.

Comente esta notícia