facebook-icon-color.png instagram-icon-color.png twitter-icon-color.png youtube-icon-color.png tiktok-icon-color.png
Cuiabá, 19 de Junho de 2024
19 de Junho de 2024

26 de Maio de 2024, 08h:09 - A | A

POLÍCIA / COMBATE À IMPUNIDADE

"Não adianta ter muitas leis se o criminoso não ficar preso", critica delegada-geral da Polícia Civil de MT

Para a delegada, para se combater a impunidade precisa-se garantir que os criminosos cumpram suas penas de forma integral.  

DAFFINY DELGADO
DO REPÓRTERMT



A delegada-geral da Polícia Civil de Mato Grosso, Daniela Silveira Maidel, defendeu nesa semana o endurecimento das leis para combater a impunidade no país. Para ela, não adianta a criação de novas leis que ampliam a pena se o criminoso, no final, não a cumprirá.

“A nós não interessa um quantitativo de pena muito grande se aquele criminoso não ficar efetivamente preso”, defendeu.

>>> Clique aqui e receba notícias de MT na palma da sua mão

Em Mato Grosso, nos últimos meses, a instituição tem empenhado forças no combate às organizações criminosas. Diversas operações foram realizadas mirando o enfraquecimento das facções, resultando em centenas de prisões.

Entretanto, as leis brasileiras tem, na verdade, ‘contribuído’ para esses criminosos retornem para as ruas. Para a delegada, para se combater a impunidade precisa-se garantir que os criminosos cumpram suas penas de forma integral.  

"Nós temos que rever essa parte do nosso ordenamento jurídico. Temos aí uma sequência de operações que visa o combate as organizações criminosas e percebemos, sim, a necessidade de uma punição e mais especificamente do cumprimento integral dessas penas", declarou.

"Eu concordo que é chegada a hora de nós revermos, sim, a punição, especialmente aos que se refere as penas de regime fechado", finalizou.

Comente esta notícia