Cuiabá, 09 de Agosto de 2022
logo

19 de Dezembro de 2017, 10h:08 - A | A

POLÍCIA / OPERAÇÃO FÊNIX

Gaeco de MG cumpre mandados em Cuiabá e outras 11 cidades

A Operação ocorre nos estados do Paraná, Minas Gerais e Mato Grosso.

DA REDAÇÃO



O Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado de Uberlândia (MG) deflagrou Na manhã desta terça-feira (19), em 12 cidades de Mato Grosso, Minas Gerais e Paraná a Operação Fênix.

A operação cumpre 200 mandados de prisão preventiva expedidos contra 136 pessoas, 121 mandados de busca e apreensão e 4 mandados de condução coercitiva.

>>> Clique aqui e receba notícias de MT na palma da sua mão

>>> Receba notícias no Telegram e fique bem informado

Participaram da operação 7 promotores de Justiça, 3 auditores da Receita Estadual, 500 policiais militares e 150 policiais Rodoviários Federais, sendo utilizadas 2 aeronaves e 150 viaturas.

Os mandados judiciais foram cumpridos nas cidades de Uberlândia, Uberaba, Araguari, Patos de Minas, Patrocínio, Monte Alegre de Minas, Passos, Pouso Alegre, Araxá e Belo Horizonte, todas em Minas Gerais, além de Cascavel (PR) e Cuiabá.

Dentre as 136 pessoas investigadas cujas prisões preventivas foram decretadas, estão 10 delegados – sendo 3 chefes de departamento e 1 delegada regional, 2 escrivães, 45 investigadores e 7 advogados. Entre os alvos também estão chefes de departamento, empresários e traficantes.

As Delegacias Regionais de Polícia Civil de Uberlândia e Araguari foram objeto de buscas, as quais contaram com o apoio da Receita Estadual de Minas Gerais.

No total, foram oferecidas 29 denúncias, 2 cautelares de requerimento de decretação de prisões preventivas, e 3 cautelares de requerimentos diversos (busca e apreensão e conduções coercitivas).

A Operação Fênix se divide em três operações distintas.

A operação, que recebeu o nome de "Fênix", é um desdobramento de outras três operações distintas. Dentre os crimes investigados estão associação para o tráfico de drogas, obstrução de Justiça, organização criminosa, receptação, corrupção passiva e ativa, estelionato.

A assessoria do Ministério Público de Mato Grosso afirmou ao que o MPE e a Polícia Judiciária Civil não foram comunicados da operação.

Polícia Civil MT

A assessoria da Polícia Civil do Estado emitiu nota informando que não há nenhum membro da instituição de Mato Grosso envolvido nas investigações da operação “Fênix”, deflagrada nesta terça-feira (19), pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) de Minas Gerais.

Comente esta notícia