facebook-icon-color.png instagram-icon-color.png twitter-icon-color.png youtube-icon-color.png tiktok-icon-color.png
Cuiabá, 19 de Julho de 2024
19 de Julho de 2024

01 de Dezembro de 2017, 12h:36 - A | A

POLÍCIA / PAÍS EM GUERRA

Funcionária da AMM-MT desaparece após viagem à Síria; PF investiga

Juliana cruz teria viajado em novembro para a Síria, com o objetivo de encontrar um homem que conheceu pela internet.

DA REDAÇÃO



A Polícia Federal investiga o suposto desaparecimento da funcionária da Associação Mato-Grossense dos Municípios (AMM), Juliana Cruz, que teria feito uma viagem à Síria e não retornou conforme combinado anteriormente à família.

Juliana teria que ter retornado esta semana da Síria, para onde teria viajado no início deste mês.

>>> Clique aqui e receba notícias de MT na palma da sua mão

Os familiares registraram um boletim de ocorrência, na última quarta-feira (29).

Juliana teria viajado em novembro para a Síria com o objetivo de encontrar um homem que conheceu pela internet.

Associação Mato-grossense dos Municípios emitiu nota informando que entregou à Polícia Federal o computador usado pela funcionária, para que a investigação possa apurar informações que possam ser relevantes para o caso. Conforme a AMM, nenhum mandado de busca foi cumprido no local.

Dentro do possível, a AMM está auxiliando a polícia, com as poucas informações que detém sobre o caso.   

Juliana Cruz trabalha como auxiliar administrativo na coordenação jurídica da AMM.

A instituição informou que ela ainda está no período de férias e que seu retorno ao trabalho está previsto para a próxima semana.

A AMM declarou solidariedade ao caso, por parte da direção e dos funcionários da Casa.

Uma guerra civil ocorre na Síria desde 2011. A situação é considerada pela ONU a maior crise humanitária do século XXI. Cerca de 250 mil pessoas já foram vítimas da guerra e mais de 4,5 milhões deixaram do país. 

 

Confira a nota na íntegra:

Associação Mato-grossense dos Municípios, esclarece sobre as notícias veiculadas sobre o suposto desaparecimento da funcionária Juliana Cruz. A AMM informa que não foi realizada nenhuma diligência pela Polícia Federal na sede da instituição para apreender o computador que era utilizado pela funcionária. Com intuito de auxiliar nas investigações, o notebook que era utilizado pela funcionária, foi cedido para que a Polícia Federal possa extrair alguma informação relevante. Dentro do possível, a AMM está auxiliando a polícia, com as poucas informações que detém sobre o caso.   

A funcionária Juliana Cruz não é assessora jurídica da AMM. Ela trabalha como auxiliar administrativo na Coordenação Jurídica da instituição. Juliana está em férias, com a previsão de retorno as suas funções na próxima semana.

A Diretoria e os funcionários da Associação Mato-grossense dos Municípios – AMM estão sensibilizados com o ocorrido com a funcionária Juliana Cruz e são solidários com toda a família neste momento de muita preocupação e angústia.  Juliana está supostamente desaparecida, pois teria que ter retornado esta semana da Síria, para onde viajou no início deste mês. Porém, não retornou e há dias não entra em contato com a família.

A AMM se solidariza com a situação, mas ressalta que em período de férias os funcionários têm liberdade para viajar para onde quiserem, pois se trata de uma decisão pessoal e particular. Porém, anseia que o caso seja esclarecido o mais breve possível na esperança de que a funcionária retorne ao país, bem como aos quadros funcionais da instituição.

 

 

 

Comente esta notícia

Justiceiro 02/12/2017

Falta de juízo. Enquanto todos Sírios estão fugindo da guerra, lá vai uma cuiabana, provavelmente aliciada e enganada (queira Deus que não) pelo Estado islâmico.

positivo
0
negativo
0

Ana 01/12/2017

Como tem pessoas que procura problemas.. sair daqui pra encontrar alguém na Siria ia esperar o que???? Tragédia anunciada.

positivo
0
negativo
0

2 comentários

1 de 1