facebook-icon-color.png instagram-icon-color.png twitter-icon-color.png youtube-icon-color.png tiktok-icon-color.png
Cuiabá, 22 de Maio de 2024
22 de Maio de 2024

04 de Novembro de 2010, 11h:33 - A | A

POLÍCIA /

Caso Wommer: polícia indicia comerciante como cúmplice de PM assassino



DA REDAÇÃO

>>> Clique aqui e receba notícias de MT na palma da sua mão

A 1ª Vara de Violência Doméstica e Familiar decretou, na quarta-feira (3), a prisão preventiva do comerciante David Manoel Nascimento, indiciado pela Polícia Civil, como coautor do assassinato da corretora Ana Cristina Wommer, 24, e de sua filha recém-nascida Maria Eduarda.

Nascimento disputou uma vaga de deputado federalas eleições de outubro passado. Ele foi encaminhado a uma unidade prisional da Capital, pois não tem curso superior. 

A preventiva foi solicitada pelo titular da Delegacia Especializada de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP), Márcio Pieroni, que comandou as investigações. O inquérito foi relatado no final do mês passado e encaminhado ao Ministério Público, para oferecimento de denúncia.

A corretora estava grávida de oito meses e foi assassinada no dia 22 de agosto passado por asfixia, provocada por mãos ou sacola plástica. Durante o assassinato, Ana entrou em trabalho de parto e a criança morreu por falta de atendimento. O corpo de ambas foi encontrado dois dias depois, próximo à BR-364, na região da Serra de São Vicente (80 km ao Sul de Cuiabá).

O crime contou ainda com a participação do policial militar Claudemir Souza Sales, 30 anos, que foi indiciado por homicídio qualificado, aborto provocado e ocultação de cadáver. Ele está preso no Presídio Militar de Santo Antônio de Leverger e David Nascimento encaminhado a uma unidade prisional da capital.

De acordo com as investigações, Claudemir, que tinha uma relação extraconjugal com Ana, estava sendo pressionado pela vítima a assumir a criança ou ela revelaria a relação dos dois para a esposa do militar. No entanto, um laudo de DNA divulgado nesta semana apontou que Claudemir não era o pai da criança.

Com informações da Polícia Civil

 

Comente esta notícia