Cuiabá, 06 de Julho de 2022
logo

23 de Junho de 2022, 14h:48 - A | A

PODERES / APÓS PRISÃO DE EX-MINISTRO

Senadores de MT não assinam CPI do MEC e Wellington aponta 'viés político'

Nenhum senador de MT assinou o documento para abertura das investigações.

DAFFINY DELGADO
DO REPÓRTER MT



O Senado Federal está articulando a abertura de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar supostas irregularidades no Ministério da Educação (MEC), que levaram à prisão do ex-ministro Milton Ribeiro. Até agora, o senador Alessandro Vieira (PSDB-SE), que propôs a CPI, disse ter 26 das 27 assinaturas necessárias para a implantação. A reportagem apurou que nenhum dos representantes de Mato Grosso assinou o documento.

Ao RepórterMT, o senador Wellington Fagundes (PL) disse que qualquer criação de CPI, neste momento, teria viés político.

>>> Clique aqui e receba notícias de MT na palma da sua mão

>>> Receba notícias no Telegram e fique bem informado

Wellington alega que existem outros órgãos de controle para conduzir essas investigações e que, agora, é necessário aguardar os resultados da apuração.

Milton Ribeiro foi preso na quarta-feira (22), durante a operação Acesso Pago na companhia de dois pastores. Ele foi solto na manhã desta quinta (23).

De acordo com informações da Polícia Federal, o ex-ministro teria afirmado que repassava verbas para municípios indicados por pastores, a pedido do presidente da República Jair Bolsonaro (PL).

Além disso, há denúncias de pedidos de pagamento de propina em dinheiro e ouro, em troca da liberação dos recursos.

Leia mais

Milton Ribeiro e pastores passam por audiência de custódia nesta quinta-feira (23)

Comente esta notícia