facebook-icon-color.png instagram-icon-color.png twitter-icon-color.png youtube-icon-color.png tiktok-icon-color.png
Cuiabá, 13 de Junho de 2024
13 de Junho de 2024

29 de Maio de 2024, 13h:50 - A | A

PODERES / POR 9 VOTOS A 2

Pela segunda vez, Câmara de Chapada cassa mandato de Fabiana Advogada por quebra de decoro

Fabiana Nascimento é acusada de advogar contra o Município.

DAFFINY DELGADO
DO REPÓRTERMT



Por 9 votos a 2, a Câmara de Chapada dos Guimarães cassou pela segunda vez o mandato da vereadora Fabiana Nascimento (PSDB), que é pré-candidata a prefeita da cidade. A votação foi realizada na manhã desta quarta-feira (29).

A parlamentar foi denunciada por atuar como advogada em ações contra o Município e em interesse próprio, o que fere a Lei Orgânica da cidade e o regimento da Casa de Leis. A denúncia contra ela foi apresentada pelo secretário de Governo, Gilberto Mello. 

>>> Clique aqui e receba notícias de MT na palma da sua mão

Esta é a segunda vez que o Legislativo cassa o mandato dela. Na primeira vez, a Justiça derrubou a decisão por “irregularidades no processo”.

Leia mais - Presidente do STF atende pedido da Câmara de Chapada e autoriza nova sessão para cassar vereadora

Na sessão desta quarta, pouco antes da votação, o advogado de defesa da parlamentar, Manoel Antônio de Rezende David, disse que os vereadores que votarem pela cassar o mandato de Fabiana ficariam queimados e que o eleitorado vai cobrar isso nas eleições que acontecem este ano.

“A decisão, se for pela cassação, será uma decisão política. Espero que essa Câmara reflita e julgue de acordo com que é certo. A partir do momento que o Parlamento começa a cassar vereador por perseguição, por pedido de um poder, de uma pessoa, é um caminho sem volta. Esse Parlamento nunca mais vai ter a condição de levantar e a Fabiana será uma das primeiras a cair", disse.

"A próxima legislatura se aproxima, os eleitores de vocês vão estar vendo esse vídeo e esse vídeo vai ser recortado e vai estar em cada mídia, sabendo como cada um dos vereadores que aqui votou contra ela, votou por um pedido político e uma perseguição política”, alertou.

A cassação pode barrar a candidatura de Fabiana que visa concorrer ao cargo de prefeita da cidade, pois ficará inelegível por oito anos.

Placar da votação:

Sim

Bozo (PRD)

Cidu (PSDB)

Joair Lara de Siqueira (PSB)

Jonas Adriano (União)

Mariano Fidelis (PDT)

Kinho da Saúde (PSDB)

Rosa Lisboa (PL)

Rafael Nilo (PDT)

José Otávio (PL)

Não

Dudu (PSDB)

Fabiana Advogada (PRD)

Comente esta notícia

Mauro 29/05/2024

Jajá o supremo devolve .laia

positivo
0
negativo
0

1 comentários

1 de 1