facebook-icon-color.png instagram-icon-color.png twitter-icon-color.png youtube-icon-color.png tiktok-icon-color.png
Cuiabá, 19 de Julho de 2024
19 de Julho de 2024

16 de Novembro de 2017, 14h:48 - A | A

PODERES / CPI DO PALETÓ

Oposição vai à Justiça para conseguir relatoria de investigação contra Emanuel

A composição da CPI foi definida na manhã desta quinta-feira (16) e a presidência foi ocupada pelo autor do requerimento, Marcelo Bussiki (PSB), enquanto a relatoria ficou com Adevair Cabral (PSDB) e Mário Nadaf (PV) foi escolhido como membro.

CAROL SANFORD
DA REDAÇÃO



Os vereadores de oposição ao prefeito Emanuel Pinheiro (PMDB) estudam acionar a Justiça para garantir a relatoria da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI), que vai investigar a conduta do gestor da Capital, flagrado em vídeo recebendo suposta propina do ex-governador Silval Barbosa.

“Com certeza iremos ingressar com uma ação na Justiça, pois pela escolha dos membros está clara a intensão de proteger o prefeito”, declarou Toninho de Souza.

Segundo o vereador Toninho de Souza (PSD), os parlamentares da oposição estão reunindo documentos para demonstrar à Justiça que apenas os nove parlamentares que assinaram o requerimento no momento do protocolo, deveriam compor a CPI.

>>> Clique aqui e receba notícias de MT na palma da sua mão

“Com certeza iremos ingressar com uma ação na Justiça, pois pela escolha dos membros está clara a intensão de proteger o prefeito”, declarou o parlamentar.

A composição da CPI foi definida na manhã desta quinta-feira (16) e a presidência foi ocupada pelo autor do requerimento, Marcelo Bussiki (PSB), enquanto a relatoria ficou com Adevair Cabral (PSDB) e Mário Nadaf (PV) foi escolhido como membro. Os dois últimos são da base aliada a Emanuel.

“Mesmo sendo minoria, temos a presidência da comissão, que pelo Regimento Interno da Casa, é quem conduz os trabalhos e define que será ouvido. Ele também pode fazer um relatório paralelo, caso não concorde com o relator. Mas, só o fato dele conduzir os trabalhos já é importante”, comentou Toninho.

A CPI vai investigar a suposta propina recebida por Emanuel, enquanto deputado estadual. Nas imagens gravadas pelo ex-chefe de gabinete de Silval, Silvio Corrêa, o prefeito aparece enchendo os bolsos do paletó com R$ 20 mil em espécie.

A suposta tentativa de obstrução da Justiça na Operação Malebolge, quando a Polícia Federal apreendeu áudio na casa de Emanuel, gravado pelo ex-secretário Alan Zanatta, em que o ex-chefe de gabinete de Silval, Silvio Corrêa, afirma que o vídeo teria sido forjado, também será alvo da investigação.

A PF apontou que o áudio teria sido editado para favorecer o prefeito.

“Os membros da CPI podem convocar o próprio Silval, além de Silvio e Zanatta, pois são depoimentos importantes para esclarecer a origem do dinheiro recebido por Emanuel. Foi uma única vez que ele recebeu ou era rotina? É preciso esclarecer isso, pois o povo quer algumas respostas”, afirmou Toninho de Souza.

Comente esta notícia