Cuiabá, 27 de Novembro de 2022
logo

23 de Novembro de 2022, 10h:19 - A | A

PODERES / SEM RENOVAÇÃO

Max diz ser candidato à Presidência da ALMT e espera ter Botelho como 1º secretário

O deputado afirmou que já tem o apoio de 10 colegas; ele precisa de 13

DO REPÓRTER MT



A desistência de Eduardo Botelho (União) em concorrer à presidência da Mesa Diretora da Assembleia Legislativa, para um quarto mandato consecutivo, naturalmente coloca o deputado Max Russi (PSB) na disputa pelo cargo. Os dois estão em “dobradinha” nos dois cargos mais importantes da Mesa – presidente e 1º secretário – há três biênios.

Em entrevista nesta quarta-feira (23), Max confirmou que é candidato à presidência do legislativo estadual e que isso já estava sendo construído, antes mesmo de Botelho anunciar que não concorre ao cargo, em jantar na casa de Janaina Riva (MDB) nessa terça-feira.

>>> Clique aqui e receba notícias de MT na palma da sua mão

Max diz já ter o apoio de dez deputados para assumir a presidência e precisa da maioria simples do plenário, ou seja, 13 votos a favor.

“Eu era candidato a presidente e continuo com meu projeto. Tenho conversado com os deputados, tenho um apoio considerável e acho que posso, com isso, conseguir mais apoios para continuar no projeto da presidência. Eu tinha 10, antes de viajar. Continuo com os 10 e agora vou conversar com o resto”, afirmou.

Ele espera manter a dobradinha com Botelho, cedendo a ele a 1ª secretaria em uma chapa única. Inclusive, não articulou a vaga na chapa com nenhum outro parlamentar.

“[Botelho] é um bom nome. A gente trabalhou junto, eu não tenho dificuldade nenhuma com o nome do Botelho. Se for essa a vontade dele e o entendimento dos parlamentares, fico bastante tranquilo quanto a isso. Não fiz nenhum compromisso, não fiz nenhum encaminhamento ainda, com nenhum outro deputado.”

A dobradinha entre os dois não surpreende. Quem fica de lado com as articulações é a deputada Janaina Riva, que tinha a expectativa de disputar a presidência, se tornando a primeira mulher no cargo na história da Assembeia, mas desistiu.

Ao RepórterMT, ela confirmou que a desistência de Botelho não “mudaria nada” para ela, justamente porque Max Russi deve substituí-lo na disputa, o que agora se confirma.

“Como eu disse, todos os deputados que não sejam presidente ou secretário vão tem uma barreira para enfrentar. Enquanto o presidente e o secretário quiserem permanecer, vão permanecer”, criticou a deputada.

A eleição da nova Mesa Diretora ocorre em 2 de fevereiro de 2023, um dia após a posse dos deputados eleitos e reeleitos.

Comente esta notícia